A influência francesa dentro do Exército brasileiro (1930 – 1964): declínio ou permanência?

Rodrigo Nabuco de Araujo

Resumo


Esse artigo aborda as relações internacionais do Brasil e particularmente as relações militares com a França e os Estados-Unidos, durante o período democrático (1945-1964). Tenta-se compreender como o Exército brasileiro e a diplomacia francesa perceberam a as mudanças no conjunto dos componentes internos e externos do sistema internacional ao final da Segunda Guerra Mundial. Ao passo que durante vinte anos a França manteve uma missão militar de instrução junto ao Exército brasileiro, as relações entre esses dois países foram severamente perturbadas pelo desfecho da guerra. De parceiros privilegiados, eles estabelecem doravante relações distantes, perturbadas pela presença dos Estados-Unidos. Nossa perspectiva é a da diplomacia francesa. A ampla documentação conservada no ministério das Relações Exteriores, Quai d’Orsay, dá origem a uma ilusão de continuidade entre dois períodos próximos, porém distintos, provocando uma confusão entre os interesses da França e a realidade brasileira. Tenta-se compreender como num contexto de declínio francês, as relações franco-brasileiras se mantêm, se enfraquecem ou acentuam-se.


Palavras-chave


Influência francesa; Relações triangulares Brasil-Estados-Unidos- França; Militares e política externa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2008v15n20p245

Direitos autorais 2019 Rodrigo Nabuco de Araujo

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil