Medicina e Saúde Pública no Brasil: dos pajés e físicos aos homens de ciência do século XX

Marco Antonio Stancik

Resumo


A proposta do artigo é analisar as transformações históricas que singularizam a atuação dos médicos no Brasil, dos tempos coloniais, até o início do século XX. Observa-se que a medicina colonial se desenvolveu em meio ao descrédito da população e escassez de recursos, ao passo que durante o período monárquico essa situação tendeu a sofrer importantes transformações. Iniciado o século XX, os médicos, além de dividirem-se em várias especialidades, assumiram a missão de regenerar a raça.


Palavras-chave


Medicina; Saúde Pública; Eugenia; Brasil (século XIX)

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2009v16n21p111

Direitos autorais 2019 Marco Antonio Stancik

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil