Religiões afro-brasileiras na Grande Florianópolis:origens históricas e afirmação social

Autores

  • Cristiana Azevedo Tramonte Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2010v17n23p79

Palavras-chave:

Umbanda, saúde popular, religiosidade popular

Resumo

O artigo analisa a origem das religiões afro-brasileiras na Grande Florianópolis enfocando dois aspectos relevantes: as práticas dos “curandeiros, benzedores e feiticeiros” que estão na origem do surgimento dos primeiros umbandistas e sua relação com as práticas alternativas de saúde, motor principal e central que justificou e impulsionou esta forma de organização social e espiritual. Esta perspectiva é confrontada com as concepções hegemônicas da época, principalmente da Medicina Oficial e do saneamento público configurado na “missão higienizadora” das primeiras décadas do século XX. Este último redefiniu valores, normas de conduta e espaços físicos e sociais e esteve na base da repressão aos cultos afro-brasileiros no princípio do século XX.

Biografia do Autor

Cristiana Azevedo Tramonte, Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Educação Departamento de Metodologia de Ensino Programa de Pós-graduação em Educação - linha Educação e Movimentos Sociais Universidade Federal de Santa Catarina

Downloads

Publicado

2010-06-28

Edição

Seção

Dossiê