Meio ambiente e saúde pública: a urbanização de Nossa Senhora do Desterro no século XIX

Autores

  • Susana Cesco CPDA/UFRRJ

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2011v18n25p142

Palavras-chave:

Urbanização, Doenças, Higiene, Salubridade

Resumo

Nossa Senhora do Desterro, capital da Província de Santa Catarina passou por grandes modificações urbanas no século XIX. Até então era uma cidade periférica, apesar de ponto estratégico nas rotas de navegação do sul do Brasil. Em meados do século XIX ocorre um significativo crescimento urbano e comercial e, como conseqüência, um aumento nos problemas de saúde pública e abastecimento. Paralelo a esse processo de desenvolvimento do núcleo urbano de Desterro e do maior contato comercial com a capital do Império, novos usos começaram a ser atribuídos a locais como praias e rios e alguns costumes passaram por um processo de ressignificação. Isso gerou debates e questionamentos sobre práticas que até então eram comuns como o despejo de esgoto nas praias e a lavagem de roupas em rios e córregos da cidade. Esse texto é uma análise desse processo de transformação de práticas e costumes, um exame das novas percepções locais acerca das idéias de higiene e convívio social.

Biografia do Autor

Susana Cesco, CPDA/UFRRJ

Doutora em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é bolsista PRODOC/CAPES no CPDA/UFRRJ.

Downloads

Publicado

2011-06-23