Arqueologia, patrimônio e sociedade: quem define a agenda?

Autores

  • Lucas de Melo Reis Bueno Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2011v18n26p55

Palavras-chave:

Arqueologia, Patrimônio, Academia, Educação

Resumo

O objetivo deste texto é contribuir para uma discussão que tem crescido e ocupado um espaço cada vez mais importante no âmbito da Arqueologia Brasileira nos últimos anos: o papel da arqueologia e dos arqueólogos na formulação de políticas de gestão do patrimônio. Para discutir essa questão apresentaremos uma história da arqueologia no Brasil, destacando alguns momentos crucias desta trajetória, marcados por formulações jurídicas a respeito da conceituação de Patrimônio e sua influência na prática arqueológica. Como veremos, apesar de haver uma ligação estreita entre o ingresso da arqueologia na academia e modificações na formulação de leis sobre patrimônio, os arqueólogos se esquivaram por muito tempo de tomar à frente nessa discussão.

Biografia do Autor

Lucas de Melo Reis Bueno, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Historia

Laboratorio de Estudos Interdisciplinares em Arqueologia

Downloads

Publicado

2011-12-02