A Guerra do Contestado e a expansão da colonização

Autores

  • Delmir José Valentini Professor Adjunto da UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus de Chapecó SC
  • José Carlos Radin Professor Adjunto da UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus de Chapecó SC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2012v19n28p127

Palavras-chave:

Guerra do Contestado, Brazil Railway Company, Colonização

Resumo

Pretende evidenciar que a guerra fratricida do Contestado, na segunda década do século XX, insere-se no contexto da expansão da colonização do chamado “sertão catarinense”. No período, era pensamento corrente que suas imensas áreas, “desocupadas” e “mal aproveitadas”, devessem ser colonizadas por indivíduos capazes de contribuir para a colocação do Brasil nos trilhos da modernidade. As representações construídas procuravam descaracterizar as populações locais e defender os colonizadores, migrantes brancos de origem européia. Um dos aspectos dessas representações se ancorava na ideia de trabalho atribuída aos diferentes grupos. A Guerra contribuiu para reforçar tais representações e para criar as condições que impulsionaram o processo de colonização.

Biografia do Autor

Delmir José Valentini, Professor Adjunto da UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus de Chapecó SC

Doutor em História das Sociedades Ibéricas e Americanas pelo Programa de Pós-Graduação em História da PUC RS

José Carlos Radin, Professor Adjunto da UFFS Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus de Chapecó SC

Doutor em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da PUC RS

Downloads

Publicado

2012-12-05