A diversidade da cultura fronteiriça a Oeste da província do Rio Grande de São Pedro: o comércio e a paróquia de São Patrício de Itaqui (1850-1870)

Maria Medianeira Padoin, Márcio Adriano de L. Rodrigues

Resumo


Este artigo analisa a organização da atividade mercantil que se estabelece na Província do Rio Grande de São Pedro, na segunda metade do século XIX, a partir da Paróquia de São Patrício de Itaqui, entre 1850 e 1870. Busca identificar como se manifestava a atividade mercantil em uma região de fronteira aberta e suscetível aos fluxos de artigos, pessoas e associações comerciais que se prolongavam ao longo do Rio Uruguai, colaborando para dinamizar a atuação dos comerciantes e negociantes nessa sociedade. Fontes primárias, jurídicas e administrativas, ajudaram a identificar por meio da pesquisa quantitativa um comércio que se prolongava graças à atuação de uma série de agentes e estratégias privadas de acumulação de recursos que se multiplicam nesse espaço fronteiriço, tornando possível a ampliação das atividades dos mais variados ramos de negócios. Assim, o comércio criou múltiplas estratégias nessa sociedade de fronteira favorável aos interesses mercantis que nos dispomos a analisar.


Palavras-chave


Comércio; Fronteira; Paróquia de São Patrício de Itaqui

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2012v19n28p192

Direitos autorais 2019 Maria Medianeira Padoin, Márcio Adriano de L. Rodrigues

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil