Construir e recordar o passado: a formação territorial da Coroa de Aragão interpretada por Pedro o Cerimonioso (1336-1387)

Autores

  • Luciano José Vianna Universitat Autònoma de Barcelona / Institut d'Estudis Medievals

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2013v20n29p140

Palavras-chave:

Livro dos Feitos, Tradição manuscrita, Jaime I de Aragão, Pedro III de Aragão, Formação territorial da Coroa de Aragão

Resumo

Na escrita da história, diversas vezes o mesmo passado foi relembrado em diferentes contextos, de forma que diversos manuscritos que contêm o mesmo texto constituem a tradição manuscrita de um documento, a qual pode apresentar diferenças textuais, paleográficas e codicológicas entre si e, principalmente, diferentes motivos de composição. Neste sentido, objetivo deste artigo é analisar os diferentes contextos de composição dos manuscritos do Livro dos Feitos de Jaime I de Aragão (1208-1276) produzidos durante o reinado de Pedro III de Aragão (1336-1387), também conhecido como Pedro o Cerimonioso: o primeiro no ano de 1343 (ms. 1 da Biblioteca de la Universitat de Barcelona) e o segundo no ano de 1380 (ms. 1734 da Biblioteca de Catalunya). Nossa intenção é reconstruir os contextos de composição destes manuscritos para compreender como a construção e a recordação do passado por parte do rei Pedro o Cerimonioso afetou a formação territorial da Coroa de Aragão.

Downloads

Publicado

2013-03-24

Edição

Seção

Artigo