A obra em pé de página: as notas de rodapé nos livros indigenistas de José de Alencar

Daniela Casoni Moscato, Cláudio DeNipoti

Resumo


Este artigo procura compreender a nota de rodapé como elemento constituinte da obra de José de Alencar, no sentido de que as construções discursivas contidas nas notas de rodapé fornecem indícios sobre as leituras realizadas pelo autor, ao mesmo tempo que procuram legitimar, na historiografia que antecede o romance, as ideias sobre natureza, indígenas e nacionalidade que este autor constrói em sua obra literária – especialmente as do chamado “ciclo indigenista”. As notas de rodapé, vistas em conjunção com outros elementos não ficcionais – os paratextos – da obra alencariana, permitem acessar a construção das ideias pertinentes à sua literatura. Ao mesmo tempo, permitem um acesso particular ao mundo da leitura no passado ao identificar práticas de leitura e as apropriações que Alencar fez de textos e ideias.


Palavras-chave


História da leitura; José de Alencar; Notas de rodapé

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2013v20n29p88

Direitos autorais 2019 Daniela Casoni Moscato, Cláudio DeNipoti

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil