Chuvas de granizo e desastre nos pomares de maçã catarinenses: produzindo uma agricultura de risco

Autores

  • Jó Klanovicz Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2013v20n30p67

Palavras-chave:

História Ambiental, Desastre, Chuvas de granizo, Pomicultura

Resumo

Este artigo discute a expansão de pomares de macieira no estado de Santa Catarina, Brasil e a relação que essa expansão teve com o risco das chuvas de granizo desde os anos 1960. O granizo foi, então, construído como desastre nos registros científicos e não científicos ligados à pomicultura da região. Para interpretar como o granizo passou a ser um dos principais agentes na construção da história da pomicultura no Brasil, foram utilizados documentos técnicos e escritas criativas, documentos históricos e relatos sobre chuvas de granizo, além de produção acadêmica recente sobre esse fenômeno climático. A discussão levou em conta o emergente campo de pesquisa que aproxima história ambiental e desastres.

Biografia do Autor

Jó Klanovicz, Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná

Docente do Programa de Pós-Graduação em História e Regiões (UNICENTRO) e do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário da mesma instituição. Docente do Departamento de História (UNICENTRO). Doutor em História (UFSC, 2007), com pós-doutorado (Centro de Ciências Agroveterinárias da UDESC, 2008). Atualmente é Bolsista Produtividade em Pesquisa, nível 2, do CNPq.

Downloads

Publicado

2013-12-19