Enchentes inesperadas? vulnerabilidades e políticas públicas em Rio do Sul - SC, Brasil

Autores

  • Marcos Aurélio Espíndola UFSC
  • Eunice Sueli Nodari UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2013v20n30p9

Palavras-chave:

Rio do Sul, Enchentes, Desastres ambientais, Políticas Públicas

Resumo

O principal objetivo do artigo é analisar as principais enchentes ocorridas no município de Rio do Sul, situado no Vale do Rio Itajaí-Açu, no Estado de Santa Catarina, Brasil. O processo de ocupação populacional da região pode ser considerado como um dos grandes responsáveis pela recorrência das inundações urbanas. Serão discutidas as enchentes mais significativas que afetaram a população causando danos reversíveis e irreversíveis, de cunho material, simbólico e mesmo emocional. As decisões tomadas como políticas públicas com o intuito de conter/minimizar novas ocorrências também mereceram uma análise. E por fim, através desta revisão pretendeu-se preencher as lacunas deixadas pelas pesquisas que tratam dos desastres na região do Vale do Itajaí-Açu, que, em sua maioria se dedicam as cidades do Médio e Baixo Vale.

Biografia do Autor

Marcos Aurélio Espíndola, UFSC

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1992), mestrado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo (1999), doutorado em Geografia Humana pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). É pós-doutorando no Projeto Desastres Ambientais e Políticas Públicas em Santa Catarina nos séculos XIX, XX e início do presente século junto ao Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, Área de Concentração Sociedade e Meio Ambiente, da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGICH-UFSC). .

Eunice Sueli Nodari, UFSC

Profª. do Programa de Pós-Graduação em História/CFH/UFSC.

Downloads

Publicado

2013-12-19