Eusébio de Sousa e o processo de criação do Arquivo Público do Estado do Ceará em 1932

Autores

  • Ana Carla Sabino Fernandes Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2014v21n31p147

Palavras-chave:

Eusébio de Sousa, Arquivo Público do Estado do Ceará, Memória Arquivística

Resumo

Este artigo estabelece um diálogo com as orientações históricas, políticas e arquivísticas de Eusébio Néri Alves de Sousa (1883-1947), que foi advogado, juiz, jornalista e historiador, sócio efetivo do Instituto Histórico, Geográfico e Antropológico do Ceará (Instituto do Ceará, fundado em 1887), diretor do Arquivo Público do Estado do Ceará e também do Museu Histórico do Ceará entre 1932 e 1942. Destaco o discurso histórico de Sousa em vários livros, documentos oficiais, artigos que ele escreveu e em produções históricas em que é referência, bem como os seus feitos e os rumos impetrados ao/no Arquivo Público, que dataram e legalizaram a tradição arquivística e o Arquivo no Ceará a partir de 1932 (e não no século XIX), sob a influência dos estudos históricos do Instituto do Ceará e dos paradigmas que regiam os Arquivos Públicos no século XX enquanto “lugar” da memória, do documento histórico e da escrita da história, pautado na ideia de que a arquivística era uma ciência auxiliar da história.

Biografia do Autor

Ana Carla Sabino Fernandes, Universidade Federal do Ceará

Departamento de História-UFC. Área Prática de Ensino em História.

Downloads

Publicado

2014-06-30