Lembrar e esquecer: registro de visitantes do monumento votivo militar brasileiro de Pistoia

Autores

  • Adriane Piovezan UFPR

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2015v22n34p161

Palavras-chave:

Morte, Monumentos fúnebres, Segunda Guerra Mundial, FEB, memória.

Resumo

O registro de visitantes existente no Monumento Votivo Militar Brasileiro de Pistoia na Itália permite identificar alguns aspectos sobre a memória da participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) durante a Segunda Guerra Mundial (1944-1945). Caracterizando-se como único monumento votivo brasileiro localizado no exterior, os depoimentos espontâneos dos que conheceram o local na primeira década do século XXI destacam elementos como surpresa, honra, glória, alegria, emoção diante do espaço. Ao mesmo tempo que essa memória dos feitos da FEB é celebrada, o esquecimento do destino dos restos mortais daqueles soldados fica evidente na comparação com o monumento que os abriga desde 1960 no Brasil.

Biografia do Autor

Adriane Piovezan, UFPR

Possui graduação em Historia pela Universidade Federal do Paraná (1997) e mestrado em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2006).È Doutora em História pela Universidade Federal do Paraná (2014) e atualmente pesquisa atitudes diante da morte e do morrer na guerra, aspectos religiosos, e instituições militares.

Downloads

Publicado

2015-12-01

Edição

Seção

Dossiê