Vestida de saudade viva: o sentimento saudoso como tra(d)ição na poesia de Maria Teresa Horta

Durval Muniz Albuquerque Junior

Resumo


Esse texto se inscreve no campo dos estudos sobre os usos do passado. Tomando como material de análise a obra da poeta portuguesa Maria

Teresa Horta, notadamente seus livros Cronista não é recado, Minha senhora
de mim, Novas cartas portuguesas e Educação Sentimental, analisa como
ela se utiliza de gêneros narrativos, tanto literários, quanto memorialísticos e
historiográficos considerados tradicionais para realizar uma releitura crítica
da história das mulheres e da escrita sobre e de mulheres em Portugal. Sua
obra redimensiona o uso saudosista de dados topos narrativos e das mitologias
nacionalista e conservadora que sustentaram, ao mesmo tempo, o regime
salazarista e a exclusão social das mulheres. Sua escrita realiza uma traição à
tradição e explicita que, nem sempre, saudade quer dizer regresso. 


Texto completo:

PDF PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2016v23n35p285

Direitos autorais 2019 Durval Muniz Albuquerque Junior

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil