Religiosidade e devoção: caminhos para pensar a cidade

Autores

  • Cairo Mohamad Ibrahim Katrib UFU
  • Luciane Ribeiro Dias Gonçalves UFU

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2017v24n37p65

Palavras-chave:

Festividades, religiosidade, cidade

Resumo

A festa em louvor a Nossa Senhora do Rosário, na cidade de Catalão, localizada na região sudeste do estado de Goiás, é o espaço para a materialização de muitas vozes que contam e recontam muitas histórias  dentre elas a da religiosidade e da devoção a uma santa católica. Experimentar a festa, compreender seus sentidos, seu ritmo e o que ela  transmite à vida de seus praticantes e a própria cidade não é uma tarefa fácil, pois as experiências concretas da vida dos sujeitos são transformadas, dia a dia, interligando em um tempo fluido, vida, fé, devoção e interesses diversos.  O objetivo deste artigo é entender como a história desta devoção se conecta com a história da cidade, percebendo como o culto a Virgem do Rosário e a narrativa que dá sentido às histórias que evidenciam alguns sujeitos como os responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento da cidade e da própria comemoração.

Biografia do Autor

Cairo Mohamad Ibrahim Katrib, UFU

Doutor em História Cultural-UNB. Docente da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Luciane Ribeiro Dias Gonçalves, UFU

Doutora em Educação. Docente da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

ABREU, M. Cultura Popular: um conceito e várias histórias. In: ABREU, M.; SHOIET, R. (orgs). Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Faperj/ Casa da Palavra, 2003.

AMADO, J.; FERREIRA, M. de M. Usos e abusos da história oral. 3.ed., Rio de Janeiro: FGV, 2000.

BASTIDE, R. As Religiões Africanas no Brasil. 3 ed. , São Paulo: Pioneira.,1989.

BOLLE, W. Fisiognomia da metrópole moderna: Representação da História em Walter Benjamin. São Paulo: Edusp, 2000.

BRANDÃO, C. R. A Festa do Santo Preto. Goiânia: UFGO, 1985.

CASCUDO, C. Dicionário do Folclore Brasileiro. São Paulo: Ediouro, Coleção Terra Brasilis, 2000.

CATALÃO, Goiás. Lei nº. 46 de 03 de outubro de 1973.

CERTEAU, M. de. A Invenção do cotidiano – Artes do Fazer. Tomo 1 e 2, 6 ed., Petrópolis: Vozes, 2001.

COSTA, C. B. da. Memórias Compartilhadas: contadores de história. COSTA, C. B. da. Contar história, fazer História – história, cultura e memória. Brasília: Paralelo 15, 2001.

FLORES, M. B. R. Carrosséis urbanos: da racionalidade moderna ao pluralismo temático (ou territorialidades contemporâneas). In: REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA, vol. 27, n° 53, São Paulo: ANPUH, 2007.

GAETA, Maria Aparecida Junqueira Veiga. A Cultura clerical e a folia popular. Revista Brasileira de História., São Paulo, v. 17, n. 34, 1997. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php. Acesso: 13 outubro de 2007.

LIMA, V. B. de. Os Caminhos da Urbanização/Mineração em Goiás: O Estudo de Catalão (1970-2000). 2003. Dissertação (Mestrado em Geografia) Universidade Federal de Uberlândia, 2003.

MORAES FILHO, M. Festas e Tradições Populares do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia/ São Paulo: USP, 1987.

PEREIRA, E. de A. Rosário de muitas fés . In: Revista de Filosofia e Teologia do Instituto Arquidiocesano Santo Antonio. Vol. 04, nº. 16, 1998.

PESAVENTO, S. J. Sensibilidades no tempo, tempo das sensibilidades. In: Nuevo Mundo, Mundos Nuevos, n° 4, 2004, disponível em www.ehess.fr/cerma/Revue. Acesso dia 20 de novembro de 2007.

PRIORI, M. Del. Festas e Utopias no Brasil Colonial. São Paulo: Brasiliense, 1994.

RAMOS, C. Catalão de ontem e de hoje (curiosos fragmentos de nossa História). Catalão: Distribuidora Kalil, 1984.

RAMOS, C. Catalão: Poesias, lendas, histórias. Goiânia: Líder, 1978.

REZENDE, A. P. As seduções do efêmero e a construção da história: as múltiplas estações da solidão e os círculos do tempo. In: ERTZOGUE, M H. & PARENTE, T. G. História e Sensibilidade. Brasília: Paralelo 15, 2006.

SAINT-HILAIRE, A. de, Viagem à Província de Goiás, Belo Horizonte, Itatiaia/EDUSP, 1975.

SANTOS, M. P. dos. O Campo (re)inventado: transformações da cultura popular rural no Sudeste Goiano (1950-1990). 2001. Dissertação (Mestrado em História) -Universidade Federal de Uberlândia, 2001.

SOUZA, M. de M. e. Reis Negros no Brasil Escravista – História da Festa de Coroação de Rei Congo. Belo Horizonte: Humanitas/UFMG, 2002.

VAINFAS, R; SOUZA, Juliana B. de. Brasil de todos os santos. Rio de Janeiro: Zahar editores, 2000.

ZALUAR, A. O crime e o diabo na terra de Deus. In: Sagrado e profano – X! Retratos de um Brasil de fim de Século. Rio de Janeiro: Agir, 1994.

Downloads

Publicado

2017-10-16