Ditadura Militar brasileira e memórias femininas

Príscila Paula de Sousa

Resumo


O presente artigo analisa as memórias de algumas mulheres que estiveram no cárcere durante a Ditadura Militar no Brasil, através de seus relatos em entrevistas e depoimentos, afim de entender quais foram as formas por elas encontradas para resistir ao que viveram no período, não se deixando paralisar pelo terror imposto pelos aparatos repressivos. Trata-se também, de analisar como o ato de contar o que houve é também uma forma de contar-se, de estruturar sua subjetividade e buscar uma identidade. Essas mulheres viram e ainda veem suas vidas intimas arrastadas para o público, aprenderam a cuidar do outro e criar relações de solidariedade dentro das prisões, o que as ajudou a resistir. Assim, essas sobreviventes necessitam ter seu lugar e histórias tratados pela historiografia, afim de que não se esqueça que foram parte importante da luta resistente no período ditatorial.

Palavras-chave


Ditadura militar; Memórias femininas; Resistências

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7976.2018v25n40p453

Direitos autorais 2019 Príscila Paula de Sousa

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil