América Portuguesa: paraíso terreal

Sandro da Silveira Costa

Resumo


Este artigo objetiva analisar o Brasil como paraíso terreal. A concepção de Paraíso pressupõe a existência de clima perene, aves coloridas e a inexistência do pecado. Os espanhóis, ao encontrarem a América, em 1492, interpretaram-na como o verdadeiro paraíso terreal, pois, segundo os registros de Cristóvão Colombo, a América é descrita como terra de clima perene e agradável; a flora é variada e colorida; o homem americano, o índio, vive nu,”como a mãe o colocou no mundo”. Desconhecia, portanto, o pecado e era apto a receber a evangelização civilizadora. A visão de paraíso é dominante, mas não exclusiva, pois conforme o novo continente começou a ser explorado, a edenização ficou ameaçada. Novas plantas, ventos fortes, mas sobretudo homens e bichos estranhíssimos. Houve portanto tendência a edenização da América, mas não exclusividade.

Palavras-chave


Paraíso Terreal; Evangelização; Bom Selvagem

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Sandro da Silveira Costa

Esboços: histórias em contextos globais - ISSN da versão impressa 1414-722x (cessou em 2008) e ISSN eletrônico 2175-7976 - Florianópolis - SC - Brasil