Do contrabando ao consulado: a atuação do estadunidense John Smith Gillmer na Bahia (1826-1862)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2020.e74059

Palavras-chave:

Tráfico de escravos, Brasil, Estados Unidos da América

Resumo

Neste artigo analisamos a trajetória do negociante estadunidense John Smith Gillmer na Bahia, de 1826 (ano em que localizamos o primeiro registro de sua atuação na província) até 1862 (ano de seu falecimento). Com base, principalmente, em revisão bibliográfica e notícias de periódicos, procuramos demonstrar que, na contramão das perseguições realizadas pelo governo dos Estados Unidos contra cidadão envolvidos no contrabando negreiro para o Brasil, determinados agentes, como John Smith Gillmer, conseguiram alcançar grande projeção política, ocupando inclusive cargos diplomáticos, a despeito da sua sabida participação no crime. O trabalho está dividido em três seções: na primeira, abordamos a inserção de John Smith Gillmer na economia brasileira; na segunda, tratamos sobre sua participação no contrabando negreiro para a Bahia; e, na terceira, versamos sobre sua alçada ao posto de Cônsul dos Estados Unidos na província.

Referências

ANNUNCIOS. Correio Mercantil, Bahia, v. 3, n. 527, 7 de agosto de 1838. Disponível em http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=379. Acesso em: 10 set. 2020.

AVISOS MARÍTIMOS. Correio Mercantil, Bahia, ano 8, n. 86, 24 abril 1841. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=gillmer&pasta=ano%20184&pagfis=3410. Acesso em: 20 set. 2020.

AVISOS MARÍTIMOS. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 15, n. 45, 17 fevereiro 1840. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=364568_03&pesq=gillmer&pasta=ano%20184&pagfis=179. Acesso em: 10 set. 2020.

BAHIA. O Mercantil, Bahia, ano 2, n. 207, 20 setembro 1845. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=817325&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=964. Acesso em: 11 set. 2020.

CABAT, Geoffrey Alan. O comércio de escravos no Brasil visto por funcionários diplomáticos americanos (1845-1857). Revista de História, São Paulo, v. 36, n. 74, p. 329-347, 1968. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/127378/124560. Acesso em: 3 abr. 2019.

CHAMBERS, Stephen. “No country but their counting-houses”: The U.S.-Cuba-Baltic Circuit, 1809–1812. In: BECKERT, Sven. ROCKMAN, Seth. Slavery’s Capitalism: A New History of American Economic Development. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 2017. p. 195-207.

COMISSÃO ANGLO-BRASILEIRA. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 35, n. 74, 15 março 1860. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=364568_05&pesq=GILLMER&pasta=ano%20186&pagfis=298. Acesso em: 11 set. 2020.

COMPANHIA BOM-FIM. Correio Mercantil, Bahia, ano 14, n. 24, 1 fevereiro 1847. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=6478. Acesso em: 11 set. 2020.

COMPANHIAS, SOCIEDADES, AGÊNCIAS ETC. Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia, para o anno de 1855. Ano 1. Bahia: Typ. de Camillo de Lellis Masson & C., 1854. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706825&pesq=GILLMER&pasta=ano%20185&pagfis=224. Acesso em: 11 set. 2020.

COMPANHIAS, SOCIEDADES, AGÊNCIAS ETC. Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia, para o anno de 1856. Ano 2. Bahia: Typ. de Camillo de Lellis Masson & C., 1855. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706825&pesq=GILLMER&pasta=ano%20185&pagfis=604. Acesso em: 11 set. 2020.

COMPANHIAS, SOCIEDADES, AGÊNCIAS ETC. Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia, para o anno de 1857. Ano 3. Bahia: Typ. de Camillo de Lellis Masson & C., 1857. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706825&pesq=GILLMER&pasta=ano%20185&pagfis=1009. Acesso em: 11 set. 2020.

COMPANHIAS, SOCIEDADES, AGÊNCIAS ETC. Almanak Administrativo, Mercantil, e Industrial da Bahia, para o anno de 1858. Ano 4. Bahia: Typ. de Camillo de Lellis Masson & C., 1858. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706825&pesq=GILLMER&pasta=ano%20185&pagfis=1451. Acesso em: 11 set. 2020.

CONRAD, Robert. Tumbeiros: o tráfico de escravos para o Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1985.

DECLARAÇÕES. O Commercio, Bahia, n. 63, 20 março 1843. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=719110&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=252. Acesso em: 11 set. 2020.

ELTIS, David (org.). The Transatlantic Slave Trade Database: voyages. Viagem 4968. Disponível em: https://www.slavevoyages.org/voyage/database. Acesso em: 13 ago. 2020.

GAMBI, Thiago Fontelas Rosado. O banco da Ordem: política e finanças no império brasileiro (1853-66). 2010. 526 p. Tese (Doutorado em História). Departamento de História, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

GRADEN, Dale T. O envolvimento dos Estados Unidos no comércio transatlântico de escravos para o Brasil, 1840-1858. Afro-Ásia, Salvador. n. 35, p. 9-35, 2007. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/21125/13713. Acesso em: 11 fev. 2020.

HORNE, Gerald. O sul mais distante: Brasil, os Estados Unidos e o tráfico de escravos africanos. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

HOWARD, Warren S. American Slavers and the Federal Law, 1837-1862. Berkeley: University of California Press, 1963.

KIDDER, Daniel P.; FLETCHER, James C. O Brasil e os brasileiros: esboço histórico e descritivo. 7ª. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1941. v. 2.

LAURIE, Bruce. Working people of Philadelphia, 1800-1850. Philadelphia: Temple University Press, 1980.

MARQUES, Leonardo. The United States and the Transatlantic Slave Trade to the Americas, 1776-1867. New Haven: Yale University Press, 2016.

MESQUITA, João Marcos. O comércio ilegal de escravos no atlântico: a trajetória de Manoel Pinto da Fonseca, c.1831 – c.1850. 2019. 160 p. Dissertação (Mestrado em História). Departamento de História, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

MOVIMENTO DO PORTO. Correio Mercantil, Bahia, ano 8, n. 138, 6 julho 1841a. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=3620. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. Correio Mercantil, Bahia, ano 15, n. 255, 13 novembro 1848. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=8674. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Commercio, Bahia, n. 9, 12 janeiro 1843a. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=719110&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=40. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Commercio, Bahia, n. 57, 13 março 1843b. http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=719110&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=228. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Commercio, Bahia, n. 143, 4 julho 1843c. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=719110&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=572. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Commercio, Bahia, n. 191, 2 setembro 1843d. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=719110&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=764. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 14, n. 85, 16 abril 1839a. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=364568_02&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=11170. Acesso em: 10 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 16, n. 16, 18 janeiro 1841b. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader. aspx?ib=364568_03&pesq=gillmer&pasta=ano%20184&pagfis=1432. Acesso em: 10 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Despertador, Rio de Janeiro, n. 257, 9 fevereiro 1839b. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706701x&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=1052. Acesso em: 10 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Mercantil, Bahia, ano 1, n. 29, 4 dezembro 1844a. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=817325&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=64. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Mercantil, Bahia, ano 1, n. 35, 11 dezembro 1844b. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=817325&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=88. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Mercantil, Bahia, ano 2, n. 93, 25 abril 1845. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=817325&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=504. Acesso em: 11 set. 2020.

MOVIMENTO DO PORTO. O Sete d’Abril, Rio de Janeiro, v. 1, n. 658, 7 janeiro 1839c. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=709476&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=2787. Acesso em: 10 set. 2020.

NEGOCIANTES DA BAHIA. Almanak Imperial do Commercio e das Corporações Civis e Militares do Império do Brasil. Ano 2. Rio de Janeiro: Pedro Plancher Seignot, 1829. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706183&pesq=GILLMER&pasta=ano%20182&pagfis=193. Acesso em: 11 set. 2020.

NOTÍCIAS MARÍTIMAS. Diário da Bahia, Bahia, n. 311, 28 junho 1833. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=815250&Pesq=gillmer&pagfis=16. Acesso em: 10 set. 2020.

NOTÍCIAS MARÍTIMAS. Diário da Bahia, Bahia, n. 39, 18 fevereiro, 1835. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=815250&Pesq=gillmer&pagfis=20. Acesso em: 10 set. 2020.

ODIN, Woodbridge. Carta ao Governo da Província da Bahia. Arquivo Público do Estado da Bahia. Seção Provincial. Série Governo da Província. Documentos avulsos. Correspondência recebida do Consulado dos Estados Unidos (1811-1875). Maço 1177. 24 jul. 1826.

ODIN, Woodbridge. Carta ao Governo da Província da Bahia. Arquivo Público do Estado da Bahia. Seção Provincial. Série Governo da Província. Documentos avulsos. Correspondência recebida do Consulado dos Estados Unidos (1811-1875). Maço 1177. 3 mar. 1828.

OLIVEIRA, Waldir Freitas. A industrial cidade de Valença: um surto de industrialização na Bahia no Século XIX. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 1985.

PARTE COMERCIAL. Correio Mercantil, Bahia, ano 10, n. 202, 18 setembro 1843. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=4972. Acesso em: 11 set. 2020.

PARTE COMERCIAL. Correio Mercantil, Bahia, ano 11, n. 200, 19 setembro 1844. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=6070. Acesso em: 11 set. 2020.

PARTE COMERCIAL. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 13, n. 244, 31 outubro 1838. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=364568_02&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=10633. Acesso em: 10 set. 2020.

PARTE COMERCIAL. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 14, n. 7, 9 janeiro de 1839a. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=364568_02&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=10857. Acesso em: 10 set. 2020.

PARTE COMERCIAL. Jornal do Commercio, Rio de Janeiro, ano 14 n. 27, 1 fevereiro de 1839b. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=364568_02&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=10937. Acesso em: 10 set. 2020.

PARTE COMERCIAL. O Despertador, Rio de Janeiro, n. 318, 26 abril 1839c. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=706701x&pesq=gillmer&pasta=ano%20183&pagfis=1297. Acesso em: 10 set. 2020.

REDACÇÃO. Correio Mercantil, Bahia, ano 14, n. 178, 3 agosto 1847. p. 3. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=186244&pesq=GILLMER&pasta=ano%20184&pagfis=7099. Acesso em: 11 set. 2020.

RIBEIRO, Alan dos Santos. “The leading comission-house of Rio de Janeiro”: A firma Maxwell, Wright & C.o. no comércio do Império do Brasil (c.1827-c.1850). 2014. 172 p. Dissertação (Mestrado em História). Departamento de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2014.

ROOD, Daniel. Bogs of Death: Slavery, the Brazilian Flour Trade, and the Mystery of the Vanishing Millpond in Antebellum Virginia. The Journal of American History, Bloomington. v. 101, p. 19-43, jun. 2014. Disponível em: https://academic.oup.com/jah/article-abstract/101/1/19/749115?redirectedFrom=PDF. Acesso em: 2 abr. 2019.

SAMPAIO, Marcos Guedes Vaz. Uma contribuição à história dos transportes no Brasil: a Companhia Bahiana de Navegação a Vapor (1839-1894). 2006. 341 p. Tese (Doutorado em História). Departamento de História, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

SANTOS, Silvana Andrade dos. Escravidão, tráfico e indústria na Bahia oitocentista: a sociedade Lacerda e Cia e a fábrica têxtil Todos os Santos. 2020. 269 p. Tese (Doutorado em História). Instituto de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2020.

WRIGHT, Antônia Fernanda Pacca de Almeida. Desafio americano à preponderância britânica no Brasil: 1808-1850. São Paulo; Brasília: Ed. Nacional; INL, 1978.

VALENCIA VILLA, Carlos Eduardo. Fluxos de mercadorias entre o Rio de Janeiro e a Virgínia em meados do século XIX. História Econômica & História de Empresas, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 415-441, 2014.

VERGER, Pierre. Fluxo e refluxo do tráfico de escravos entre o Golfo de Benim e a Bahia de Todos os Santos: dos séculos XVII a XIX. São Paulo: Corrupio, 1987.

Downloads

Publicado

2021-01-15

Edição

Seção

Artigo