A radicalidade da solidariedade social: protestos e mudança política no Brasil contemporâneo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7976.2022.e83934

Palavras-chave:

Solidariedade social, Movimentos sociais, Radicalidade

Resumo

Desde 2013, o Brasil enfrenta um processo de convulsão política, institucional e social, traduzido em eclosão de
escândalos políticos e grandes mobilizações de rua que evocam certo radicalismo social. Entre maio e junho de 2020, em
meio ao período inicial da pandemia da COVID-19, manifestações de movimentos sociais organizados e da sociedade
civil tomaram as ruas de cidades do país “pela democracia e pela vida”, pautadas por uma agenda caracterizada como
antifascista. Essas mobilizações pareciam indicar que algo aconteceria rapidamente, em especial através das camadas
sociais empobrecidas – as mais afetadas pelo cenário político e pela pandemia –, mas esfriaram na mesma velocidade
em que começaram. O que aconteceu desde então? O artigo examina essa questão, analisando os protestos por meio
da categoria de solidariedade social. Investigamos seu papel na construção da coesão social no Brasil durante o último
ano (2021), tanto na mobilização de setores da população quanto na própria corrosão e reversão das bases do tecido
social de nossa sociedade.

Biografia do Autor

Denise De Sordi, Estágio pós-doutoral no Departamento de Sociologia da FFLCH/USP

Doutora em História Social pelo PPGHI/UFU. Realiza estudos de pós-doutorado no Departamento de Sociologia da FFLCH/USP.

Referências

ANDERSON, Perry. Brazil apart. Londres: Verso Books, 2019.

ANDES. Final de Semana teve novos atos contra o fascismo, racismo e Bolsonaro. 15 jun. 2020. Disponível em: https://www.andes.org.br/conteudos/noticia/final-de-semana-teve-novos-atos-contra-o-fascismo-racismo-e-bolsonaro1.

ARTICLE 19. Protestos no Brasil. Relatório. Article 19, 2013.

BENJAMIN, Walter. On the concept of history. N.P.: CreateSpace Independent Publishing Platform, 2016.

BRAGA, Ruy. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. São Paulo: Boitempo: USP, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, 2012.

BRAGA, Ruy. Terra em transe: o fim do lulismo e o retorno da luta de classes. In: As contradições do lulismo: a que ponto chegamos? / organização de André Singer, Isabel Loureiro. – 1. ed. – São Paulo: Boitempo, 2016. pp. 55-92.

CAMBI, Eduardo Augusto S. Lei antiterror brasileira (l. 13.260/16): ameaça à democracia e aos direitos fundamentais. Revista Quaestro Iuris. v. 10, n. 3, 2017.

DE SORDI, Denise; MORAIS, Sérgio Paulo. "Os estudantes ainda estão famintos!": ousadia, ocupação e resistência dos estudantes secundaristas no Brasil. Religación. Revista de Ciencias Sociales y Humanidades. n˚2, Quito, Jun., pp. 25-43, 2016.

DE SORDI, Denise. Reformas nos programas sociais brasileiros: solidariedade, pobreza e controle social. Tempos Históricos. v. 25, n.1, 2021. pp. 70-106.

GOHN, Maria da Glória. Manifestações e protestos no Brasil: correntes e contracorrentes na atualidade. São Paulo: Cortez, 2017.

GOHN, Maria da Glória. Participação e democracia no Brasil: da década de 1960 aos impactos pós-junho de 2013. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019.

GIELOW, Igor. Golpe de 64 é ‘marco para a democracia brasileira’, diz Defesa. Estadão. 30 mar. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/03/golpe-de-64-e-marco-para-a-democracia-brasileira-diz-defesa.shtml.

GINDRE, G. Internet e Redes sociais como ferramentas de Mobilização. In: Oficina Redes Sociais e Mobilização. Rio de Janeiro: Rede de Mobilizadores. Laboratório Herbert de Souza Tecnologia e Cidadania, 2016.

JASPER, James M. Protesto: uma introdução aos movimentos sociais. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

MOTA, Erick. Grupo Antifas e lutadores prometem manifestações distintas para domingo. Congresso em Foco. 04 jun. 2020. Disponível em: https://congressoemfoco.uol.com.br/governo/antifas-e-lutadores-prometem-manifestacoes-distintas-para-domingo/.

NOBRE, M. Choque de democracia: razões da revolta. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

PHILLIPS, Dom. Huge protests in Brazil as far-right presidential hopeful returns home. The Guardian. Brazil, Americas. 30 Sep. 2018. https://www.theguardian.com/world/2018/sep/30/huge-protests-in-brazil-as-far-right-presidential-hopeful-jair-bolsonaro-returns-home.

PINHEIRO-MACHADO, Rosana; SCALCO, Lucia Mury. From hope to hate: The rise of conservative subjectivity in Brazil. HAU: Journal of Ethnographic Theory, v. 10, n. 1, p. 21-31, 2020.

PIRES, Breiller. Futebol e política, uma mistura tão óbvia quanto a alienação de quem a despreza. EL PAÍS – Brasil. 01 jun.2020. Disponível em: https://brasil.elpais.com/esportes/2020-06-01/futebol-e-politica-uma-mistura-tao-obvia-quanto-a-alienacao-de-quem-a-despreza.html.

ROCHA, Sonia. Transferências de Renda: o fim da pobreza. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

ROMERO, Simon. Bus-Fare Protests Hit Brazil's Two Biggest Cities. The New York Times. June 13, 2013. https://www.nytimes.com/2013/06/14/world/americas/bus-fare-protests-hit-brazils-two-biggest-cities.html.

RUDÉ, George. Ideologia e Protesto Popular. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

SEVERO, Ricardo G.; GONÇALVES, Suzane da Rocha V.; ESTRADA, Rodrigo Duque. The diffusion of the School without Party project on Facebook and Instagram: conservatism and reactionarism in the Brazilian conjuncture. Educação & Realidade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 44, n. 3, e84073, 2019.

SINGER, André. Os sentidos do lulismo: reforma gradual e pacto conservador. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

SPIGA, D. O instante revolucionário da Jetztzeit. Aufklärung: revista de filosofia, [S. l.], v. 8, n. 1, p. p.59–74, 2021. DOI: 10.18012/arf.v8i1.56966. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/arf/article/view/56966. Acesso em: 15 set. 2021.

TATAGIBA, Luciana; GALVÃO, Andreia. Os protestos no Brasil em tempos de crise (2011-2016). Opinião Pública. Revista do CESOP. Campinas, vol. 25, n˚1, jan-abr., p. 63-96, 2019.

TATEMOTO, Rafael. Suicídio de reitor da UFSC completa um ano sem responsabilizações. Brasil de Fato. Política. 02 Oct., 2018. https://www.brasildefato.com.br/2018/10/02/suicidio-de-reitor-da-ufsc-completa-um-ano-sem-responsabilizacoes.

TELLES, Vera da S. Pobreza e Cidadania / Vera da Silva Telles. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Sociologia da FFLCH-USP/Editora 34, 2013.

TILLY, Charles. Democracia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

TILLY, Charles. Movimentos sociais como política. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n.3, p. 133-60, jan. / jul. 2010.

TREVISAN, Karina; MELO, Luísa. Há dez anos, o Brasil 'decolava' na capa da 'The Economist'; o que aconteceu desde então? G1. Economia. 12 Nov. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/11/12/ha-dez-anos-o-brasil-decolava-na-capa-da-the-economist-o-que-aconteceu-desde-entao.ghtml.

VARGAS MAIA, TATIANA; PONTIN, Fabricio. Cidadania, Semi-cidadania e democracia no Brasil contemporâneo. In: Adriano Freixo; Rosana Pinheiro-Machado. (Orgs.). Brasil em Transe: Bolsonarismo, Nova Direita e Desdemocratização. 1ed.Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2019, p. 59-75.

Downloads

Publicado

2022-06-09

Edição

Seção

Dossiê "Radical History em contextos globais"