As relações neurais de interação e integração entre raciocínio moral e emoções: um diálogo das neurociências com as éticas contemporâneas

Autores

  • Leonardo Ferreira Almada

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2010v9n1p89

Palavras-chave:

Neurociência afetiva, Emoções e raciocínios morais, Processos emocionais e cognitivos, Neuroética, Epistemologia das Neurociências.

Resumo

Este artigo visa a analisar a significação de algumas hipóteses neurobiológicas — acerca das relações dos raciocínios morais com as emoções — que buscam uma compreensão das bases causais do comportamento humano e do percurso neural que envolve o processo de decision-making. Ao mesmo tempo, proponho defender que, se processos emocionais e processos cognitivos têm percursos neurais próprios e particulares, também é verdade que, no âmbito dos raciocínios morais e da regulação do comportamento, há uma cooperação e integração funcional significativa, a qual inviabiliza uma dicotomia ou subordinação entre processos cognitivos e processos emocionais na constituição do comportamento ético.

Downloads

Publicado

2010-01-04

Edição

Seção

Artigos