Hannah Arendt e os limites da esfera política

Autores

  • Luiz Diogo de Vasconcelos Junior UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2010v9n2p217

Palavras-chave:

Revolução, Pluralidade, Liberdade

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar o pensamento arendtiano sobre o desenvolvimento da tradição política ocidental a partir das Revoluções que marcaram a modernidade, sobretudo as Revoluções Francesa e a Americana. As experiências políticas que resultaram deste movimento significaram, na maior parte dos casos, a impossibilidade da pluralidade e da ação na esfera política. Para Arendt uma das principais causas destas interrupções foi a substituição da liberdade política pela manutenção das igualdades sócio-econômicas reivindicadas pelo povo nos conturbados períodos revolucionários.

Downloads

Publicado

2010-05-05

Edição

Seção

Artigos