Bioética: é possível guiar-se por regras ou um particularismo moral é inevitável?

Autores

  • Daiane Martins Rocha UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2010v9n3p15

Palavras-chave:

Bioética, Particularismo, Wittgenstein, Linguagem

Resumo

Na Bioética se discute a aplicação de princípios para que se tenham práticas médicas adequadas, como no caso do principialismo, que propõe autonomia, beneficência, não-maleficência e justiça como princípios reguladores das práticas clínicas. Tais princípios garantiriam a ética nos procedimentos e nas relações médico-paciente. O objetivo deste trabalho é questionar a aplicabilidade de regras e princípios; examinar como sabemos que estamos aplicando um princípio adequadamente; se a aplicação de regras e princípios está sujeita à interpretação; e se há uma interpretação que possamos considerar a correta. Por fim, pretendemos responder a pergunta que apresentamos no título desse artigo, visto que a discussão sobre seguir regras pode levar ao ceticismo de regras ou mesmo, a aceitação de um particularismo moral.

Downloads

Publicado

2010-09-07

Edição

Seção

Artigos