O argumento do valor intrínseco da vida humana contra a morte de embriões humanos

Autores

  • Lincoln Frias Unifenas, NEPC-UFMG, FAPEMIG

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2012v11n3p239

Palavras-chave:

Valor intrínseco, Vida humana, Embriões humanos, Ética aplicada

Resumo

Normalmente se argumenta contra o descarte de embriões humanos defendendo a atribuição de direito à vida a eles. No entanto, os argumentos apresentados com esse intuito não têm sido bem sucedidos. Uma alternativa é dizer que o erro moral em matar embriões humanos é desrespeitar o valor intrínseco da vida humana. Esse artigo apresenta essa proposta e aponta suas deficiências. A conclusão é que, caso a vida dos embriões humanos contenham algum tipo de valor intrínseco, ele é insignificante porque não é específico da vida humana, não é o que torna errado matar pessoas adultas e porque ele seria muito pequeno, dadas as especificidades do embrião.

Downloads

Publicado

2013-01-22

Edição

Seção

Artigos