Sobre o gênio na estética de Schopenhauer

Maria Lúcia Cacciola

Resumo


Minha comunicação pretende apresentar um estudo da figura do gênio em Schopenhauer. A preocupação fundamental será a questão da especificidade da obra de arte em Schopenhauer como modo de conhecimento, a saber, “como metafísica do belo”. Nessa via analisaremos a característica própria do gênio em Schopenhauer, buscando estabelecer suas referências ao gênio em Kant, e questionando as afinidades e contrastes entre ambas as concepções. Trata-se de inquirir, por meio da filosofia da arte de Schopenhauer, se o gênio, na concepção pós-kantiana, guarda as mesmas características que as que lhe foram atribuídas por Kant na terceira Crítica. A intenção é a de pesquisar o alcance dessa questão diante da acusação de uma volta de Schopenhauer a uma posição pré-crítica.


Palavras-chave


Schopenhauer; Kant; metafísica do belo; gênio.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1677-2954.2012v11nesp1p31

 

 

 

 

 

ethic@. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1677-2954

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional