Filosofia política e experimentalismo democrático: alternativa para realizar a justiça

Autores

  • Carlos Savio G. Teixeira Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2014v13n1p204

Palavras-chave:

Justiça, Instituições, Unger

Resumo

Este artigo analisa criticamente a visão geral das principais correntes das Teorias da Justiça. Argumenta que a desatenção à dimensão institucional das sociedades contemporâneas leva-as a uma postura irrealista sobre a possibilidade de concretização da justiça. Apresenta outra visão, baseada no experimentalismo democrático proposto pela filosofia política de Unger, ancorada na ideia de reorganização institucional da sociedade.

 

Biografia do Autor

Carlos Savio G. Teixeira, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Professor Adjunto do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal Fluminense (UFF), Rio de Janeiro, Brasil.

Downloads

Publicado

2014-06-16

Edição

Seção

Artigos