Personalismo axiológico e ética cristã no culturalismo de Miguel Reale

José Mauricio de Carvalho

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1677-2954.2016v15n3p418

Neste trabalho examinam-se os aspectos fundamentais da ética realiana. Examina-se sua axiologia base da formação da cultura e mostra-se como ela incorpora elementos da ética cristã. Se Reale toma a ética cristã como base da cultura, não se pode dizer que a ética realiana seja a exata expressão da ética cristã ou que coincida perfeitamente com ela. Contudo os estudos de Reale ajudam a desenvolver a ética cristã, destacando-se o cuidado com a dignidade da pessoa e a caracterização filosófica da condição humana. Em contrapartida, a noção realiana de eticidade, ou do que Angeles García denominou de um humanismo integral, mostra que a afinidade da ética realiana com a ética cristã era maior do que ele acreditava e não se limitava a tomá-la como a base da cultura em que vivemos.


Palavras-chave


Personalismo; Historicismo axiológico; Ética cristã

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. 2. ed., São Paulo: Mestre Jou, 1982.

AZPITARTE, Eduardo López. Fundamentação da ética cristã. São Paulo: Paulus, 1995.

BISPOS DA HOLANDA. O novo catecismo. São Paulo: Loyola, 1974.

BRUGGER, Walter. Dicionário de Filosofia. 3. ed., São Paulo: Herder, 1977.

CARVALHO, José Mauricio de. Caminhos da moral moderna; a experiência luso-brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, 1995 (coleção reconquista do Brasil).

______. Antologia do culturalismo brasileiro. Londrina: Cefil, 1998.

______. Contribuição contemporânea à filosofia brasileira, balanço e perspectivas. 3. ed., Londrina: EDUEL, 2001.

______. Miguel Reale: ética e filosofia do direito. Porto Alegre: Edipucrs, 2011.

______. Etapas do pensamento ontognoseológico de Miguel Reale. Atas do IX Colóquio Tobias Barreto. Lisboa: Instituto de Filosofia Luso Brasileira, 2011 (a).

______. Ética cristã e filosofia clínica. São Paulo: Filoczar, 2015.

CESAR, Constança Marcondes. Ética e liberdade em Miguel Reale. Atas do IX Colóquio Tobias Barreto. Lisboa: Instituto de Filosofia Luso Brasileira, 2011.

FEINER, Johannes e VISCHER, Lukas. O novo livro da fé. Petrópolis: Vozes, 1976.

GARCÍA, Angeles Mateos. A teoria dos valores de Miguel Reale, fundamento de seu tridimensionalismo jurídico. São Paulo: Saraiva, 1999.

JASPERS, Karl. Introdução ao pensamento filosófico. 9. ed., São Paulo: Cultrix, 1993.

KANT, Immanuel. O fim de todas as coisas. Textos selecionados. Petrópolis: Vozes, 1985.

MARITAIN, Jacques. Humanismo Integral. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1942.

______. Le crépuscule de la civilisation. 3. ed. Montréal: Editions de L´Arbre, 1944.

______. Caminhos para Deus. Belo Horizonte: Itatiaia, 1962.

MELO FREIRE, Pascoal José. Ensaio do Código Criminal a que mandou proceder a Rainha Fidelíssima D. Maria I. Lisboa: Maigrense, 1823.

MILLEN, Maria Inês de Castro. Os acordes de uma sinfonia, a moral do diálogo na teologia de Bernhard Häring. Rio de Janeiro: Editora da PUC, 2005.

PAIM, Antônio. Miguel Reale e a autonomia da Axiologia. In: Atas do IV Colóquio Tobias Barreto. Lisboa: Instituto de Filosofia Luso Brasileira, 1998.

PAIM, A. PROTA, L. e RODRÍGUEZ, R.V. Filosofia. Londrina: EDUEL, 1999.

REALE, Miguel. Poemas do amor e do tempo. São Paulo: Saraiva, 1965.

______. Filosofia do Direito. 8. ed., São Paulo: Saraiva, 1978.

______. Introdução à Filosofia. 2. ed., São Paulo: Saraiva, 1989.

______. Expérience et Culture. Bordeaux: Editions Biere, 1990.

______. Invariantes axiológicos. Estudos Avançados. 5 (13): 131-144, 1991.

______. Paradigmas da cultura contemporânea. São Paulo: Saraiva, 1996.

______. Variações. São Paulo: GDR, 1999.

______. Cinco temas do culturalismo. São Paulo: Saraiva, 2000.

______. Variações 2. Rio de Janeiro: Academia de Letras, 2003 (a).

______. A teoria tridimensional do Direito. Lisboa: Imprensa Nacional, 2003.

______. Personalismo e historicismo axiológico. Lisboa: Imprensa Nacional, 2003.

ROSENFIELD, Denis. Política e liberdade em Hegel. 2. ed., São Paulo: Ática, 1995.

VAUCHEZ, André. A espiritualidade na Idade Média Ocidental, séculos VIII a XI. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

ZACARIAS, R. CASTRO MILLEN, M.I. e TRASFERETTI, J.A. Introdução à ética teológica. São Paulo: Paulus, 2015.

ZILLES, Urbano. Pessoa e dignidade humana. Curitiba: CRV, 2012. 110 p.




 

 

 

 

 

ethic@. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1677-2954

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional