O feminismo universalista de Martha Nussbaum

Maria de Lourdes Borges

Resumo


Nesse artigo, eu pretendo a apresentar a defesa que a filósofa Martha Nussbaum faz do liberalismo político, compreendido como a tradição liberal iluminista que vai de Kant a Rawls. Muitas feministas têm objetado que a concepção liberal da natureza humana e de filosofia política não se pode constituir num fundamento adequado para uma teoria da libertação das mulheres. Nussbaum contesta esta visão, mostrando que o liberalismo oferece conceitos universais, que são valores essenciais para o movimento feminista e para a luta das mulheres, tais como a noção de pessoa, auto-respeito, capacidade de escolha e igual consideração do valor e dignidade dos seres humanos. Além disso, os movimentos feministas atualmente utilizam estes conceitos para fundamentar suas reivindicações. Ao final, apresentarei a noção de capability, mostrando como esse conceito responde às críticas ao feminismo universalista.


Palavras-chave


Feminismo; Nussbaum; Capabilidade

Texto completo:

PDF/A

Referências


Referências:

Jaggar, A. Feminist Politics and Human Nature.Totowa, NJ: Rowman and Allanheld,1983.

Noddings, Nel. Caring: A Feminine Approach to Ethics and Moral Education. Berkeley: University of California Press,1984.

Nussbaum, M. ”The feminist Critique of Liberalism”. In: Sex and Social Justice Oxford/New York: Oxford University Press, 1999.

Nussbaum, M. “In Defense of Universal Values”. In: Sterba, J. Controversies in Feminism. Oxford: Rowman & Littlefield Publishers, 2001

Nussbaum, M. “Capability and Well- Being”. In: Nussbaum and Sen. The quality of life. Oxford: Clarendon Press, 1993




DOI: https://doi.org/10.5007/1677-2954.2018v17n2p205

          

 

 

ethic@. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1677-2954

Licença Creative Commons
This work is licensed under a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional