Cosmologia e política no Antropoceno

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2020v19n2p300

Palavras-chave:

Cosmologia, Política, Antropoceno, Termodinâmica, Fascismo

Resumo

O presente artigo procura examinar a problemática do cosmopolitismo à luz da catástrofe socioambiental em curso, batizada por muitos de Antropoceno. Para tanto, discutem-se as relações entre ciência e política com base nas considerações entropológicas de Lévi-Strauss e Prigogine & Stengers, entre outros. Desenvolve- se a hipótese segundo a qual a política humana é essencialmente caracterizada por um potencial termodinâmico, capaz de conduzir a sociedade, junto com o ambiente, ao colapso catastrófico. Nesse sentido, conclui-se que o princípio transcendental da conformidade a fins da natureza, tomado a partir de Kant e Bergson, enseja uma espécie de fascismo cósmico.

Biografia do Autor

Marco Antonio Valentim, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, P.R.

Doutor em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Associado do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná. Membro permamente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Paraná.

Referências

BACHELARD, Gaston. 1994 [1949]. A psicanálise do fogo. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Martins Fontes.

BATESON, Gregory. 1987 [1972]. Steps to an Ecology of Mind. Northvale, London: Jason Aronson Inc.

BERGSON, Henri. 2005 [1907]. A evolução criadora. Tradução de Bento Prado Neto. São Paulo: Martins Fontes.

CHAKRABARTY, Dipesh. 2013 [2009]. O clima da história: quatro teses. Tradução de Idelber Avelar (coord.). Sopro, 91: 2-22.

CHAMIE, Mário (coord.). 1978. Mitopoemas Yanomami. São Paulo: Olivetti.

DANOWSKI, Déborah. 2018. Negacionismos. Série Pandemia. São Paulo: n-1 edições.

DANOWSKI, Déborah & VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. 2014. Há mundo por vir? Ensaio sobre os medos e os fins. Desterro [Florianópolis]: Cultura e Barbárie, Instituto Socioambiental.

DELEUZE, Gilles. 2003 [1969]. Lógica do sentido. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Perspectiva.

GEORGESCU-ROEGEN, Nicholas. 2012 [1979]. “A degradação entrópica e o destino prometeico da tecnologia humana”. In: N. Georgescu-Roegen. O descrescimento: entropia, ecologia, economia. Organização de Jacques Grinevald e Ivo Rens. Tradução de Maria José Perillo Isaac. São Paulo: Senac, pp. 159-183.

HARAWAY, Donna J. 2016. Staying with the Trouble: Making Kin in the Chthulucene. Durham and London: Duke University Press.

KANT, Immanuel. 1986 [1784]. Ideia de uma história universal de um ponto de vista cosmopolita. Tradução de Rodrigo Naves e Ricardo Ribeiro Terra. São Paulo: Brasiliense.

KANT, Immanuel. 2002 [1790]. Crítica da faculdade do juízo. Tradução de Valerio Rohden e António Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

KOLBERT, Elizabeth. 2015 [2014]. A sexta extinção: uma história não natural. Tradução de Mauro Pinheiro. Rio de Janeiro: Intrínseca.

KOPENAWA, Davi & ALBERT, Bruce. 2015 [2010]. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Companhia das Letras.

LATOUR, Bruno. 2017 [2015]. Facing Gaia: Eight Lectures on the Climate Regime. Translated by Catherine Porter. Cambridge: Polity Press.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 1993 [1991]. História de Lince. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Companhia das Letras.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 1996 [1955]. Tristes trópicos. Tradução de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 2011 [1971]. O homem nu: Mitológicas IV. Tradução de Beatriz Perrone-Moisés. São Paulo: Cosac Naify.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 2012 [2011]. A antropologia diante dos problemas do mundo moderno. Tradução de Rosa Freire d’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras.

LIU, Cixin. 2019 [2010]. O fim da morte. Tradução de Leonardo Alves. São Paulo: Suma de Letras.

LUCRÉCIO, Tito Caro. 1851. A natureza das coisas. Tomos I e II. Traduzido do original latino para verso portuguez por Antonio José de Lima Leitão. Lisboa: Typographia de Jorge Ferreira de Mattos.

MARGULIS, Lynn & SAGAN, Dorion. 2002 [1995]. O que é vida?. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

MARQUES, Luiz. 2016. Capitalismo e colapso ambiental. 2a. ed. Campinas: Editora da Unicamp.

MASSUMI, Brian. 1992. A user’s guide to Capitalism and Schizophrenia: Deviations from Deleuze and Guattari. Cambridge: The MIT Press.

ORWELL, George. 2017 [1946]. “Resenha de Nós, de Ievguêni Ivánovitch Zamiátin”. In: I. Zamiátin. Nós. Tradução de Gabriela Soares. São Paulo: Aleph, pp. 317-323.

PRIGOGINE, Ilya & STENGERS, Isabelle. 1984 [1978]. A nova aliança: metamorfoses da ciência. Tradução de Miguel Faria e Maria Joaquina Machado Trincheira. Brasília: Editora UnB.

PRIGOGINE, Ilya & STENGERS, Isabelle. 1992 [1988]. Entre o tempo e a eternidade. Tradução de Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras.

ROMANDINI, Fabián Ludueña. 2012. Para além do princípio antrópico: por uma filosofia do Outside. Tradução de Leonardo D’Ávila. Desterro [Florianópolis]: Cultura e Barbárie.

SCHRÖDINGER, Erwin. 1997. O que é vida? O aspecto da célula viva. Seguido de Mente e Matéria e Fragmentos Autobiográficos. Tradução de Jesus de Paula Assis e Vera Yukie Kuwajima de Paula Assis. São Paulo: Editora UNESP.

STENGERS, Isabelle. 2005. “The Cosmopolitical Proposal”. In: B. Latour & P. Weibel. Making Things Public: Atmospheres of Democracy. Cambridge: The MIT Press, pp. 994-1003.

STENGERS, Isabelle. 2015 [2009]. No tempo das catástrofes: resistir à barbárie que se aproxima. Tradução de Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo: Cosac Naify.

STENGERS, Isabelle & PIGNARRE, Philippe. 2005. La sorcellerie capitaliste: pratiques de désenvoûtement. Paris: La Découverte.

VALENTIM, Marco Antonio. 2018. Extramundanidade e sobrenatureza: ensaios de ontologia infundamental. Desterro [Florianópolis]: Cultura e Barbárie.

VEIGA, José Eli da. 2019. O Antropoceno e a ciência do sistema Terra. São Paulo: Editora 34.

ZAMIÁTIN, Ievguêni. 2017a [1924]. Nós. Tradução de Gabriela Soares. São Paulo: Aleph.

ZAMIÁTIN, Ievguêni. 2017b [1923]. “Sobre a literatura, a revolução, a entropia e outros assuntos”. Tradução de Cássio de Oliveira. In: B. Gomide (org.). Escritos de outubro: os intelectuais e a revolução russa, 1917-1924. São Paulo: Boitempo.

Downloads

Publicado

2020-09-21