A Profilaxia do Silêncio: Nietzsche e a Virtude da Vita Contemplativa

Jelson Roberto Oliveira

Resumo


Pretende-se mostrar como o tema do silêncio, apresentado como parte do projeto nietzscheano de revitalização da vita contemplativa, adquire importância no chamado segundo período de sua produção, ligado àquela que poderia ser considerada a primeira e mais contundente das virtudes humanas apontadas por Nietzsche: o cultivo de si. Nesse sentido, trata-se de uma noção requisitada como parte do projeto crítico da modernidade implementado pelo filósofo alemão, cujo ponto de partida é uma revisão da própria tarefa da filosofia, conduzindo a uma crítica radical da moralidade vigente, da hipertrofia da racionalidade e da importância da linguagem. O silêncio, associado à solidão, aparece como uma profilaxia e radical aprofundamento em relação à anulação de si no arrulho da multidão moderna.


Palavras-chave


Silêncio; Vita contemplativa; Solidão; Modernidade

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1677-2954.2011v10n1p133

 

 

 

 

 

ethic@. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1677-2954

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a  Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional