Democracia e corpo político em Hobbes: uma leitura do Elements of Law

Autores

  • Delmo Mattos da Silva UFMA

DOI:

https://doi.org/10.5007/1677-2954.2021.e84514

Palavras-chave:

Multidão, Democracia, Concórdia, Vontade pública, Consenso

Resumo

Em Elements of Law, Hobbes evidencia a passagem da multidão ao povo pela qual se evidencia a redução do múltiplo ao uno. A evidência da unidade das vontades assinala ser a democracia o fundamento primeiro, na ordem de constituição das instituições políticas, pelo qual possibilita o aparato consensual e, portanto, a concepção hobbesiana de corpo político. O objetivo desse artigo consiste em compreender os termos da democracia em Hobbes, especificamente no contexto da sua obra Elements of Law e a sua relação com a instauração do corpo político. Trata-se, portanto, de evidenciar o modo pelo qual a ideia de povo opera a conversão das vontades particulares, originalmente em desacordo, em uma vontade única. Na medida em que a união das vontades individuais em direção à submissão da vontade única torna-se a condição para a instauração da democracia. Nesses termos, demonstra-se que a condição de unidade presente no corpo político torna-se compatível com a conciliação das vontades em vistas a um único fim que se identifica com os termos da vontade pública.

Referências

BOBBIO, N. Thomas Hobbes. Tradução: Carlos Nélson Coutinho, Rio de Janeiro: Campus, 1991.

COPP, D. Hobbes on Artificial Persons and Collective Actions Author(s): Source: The Philosophical Review, Vol. 89, No. 4 (Oct., 1980), pp. 579-606.

HOEKSTRA, K. A lion in the house: Hobbes and democracy. In: BRETT; TULLY (ed.). Rethinking the foundations of modern political thought. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

JAUME, L. ‘Peuple et individu dans le debat Hobbes-Rousseau: d’une ´representation qui n’est pas celle du peuple, ´a un peuple qui n’est pas ` representable’. in ´La Representation´, F. d’Arcy (Paris, ed. Economica, 1985), 39–53.

JAKONEN, M. Multitude in Motion: Re-Readings on the Political Philosophy of Thomas Hobbes. Jyväskylä: University of Jyväskylä, 2013.

LEIVAS, C. A visão de Leviatã representação, afecção e vontade na filosofia natural e política de Hobbes. Porto Alegre: Class, 2019.

MATTOS, D. Pactos, palavras e ações em Thomas Hobbes. Belo Horizonte: Editora Dialética. 2020.

SMITH, S. ‘Democracy and the Body Politic from Aristotle to Hobbes’. Political Theory 46, no. 2 (2018): 167–96.

HOBBES, T. Os elementos da lei natural e Política (The elements os law). Tradução: Bruno Simões. São Paulo: Editora WMF Martins Fonte, 2010.

RODILLA, M. A. Hobbes: Soberanía y Bien del Pueblo, en Bonete Perales, E. (Coord.), La Política desde la Ética. I. Historia de un Dilema, Proyecto A, Barcelona, 1998.

VAN DUN, F. 2005. “Hobbesian democracy.” The Journal for the New Europe 2 (2): 5–33.

SOUKI, Nádia. Behemoth contra leviatã: Guerra civil na filosofia de Thomas Hobbes. Edições Loyola: São Paulo, 2008.

STRAUSS, L. A filosofia política de Hobbes: suas bases e sua gênese. São Paulo: É realizações, 2016.

TUCK, R. Hobbes and democracy. In: BRETT; TULLY (ed.). Rethinking the foundations of modern political thought. Cambridge: Cambridge University Press, 2006.

ZARKA, Y. Hobbes e a invenção da vontade política pública. Discurso, n. 32, p. 71-84, 2001.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Edição

Seção

Dossiê Hobbes e Espinosa: estado, poder, religião e liberdade