Atividades interdisciplinares e multiprofissionais: relatos de experiência com participantes do programa de prevenção para doenças cardiovasculares

Autores

  • Geny Aparecida Cantos UFSC
  • Maria Edinéia Rocha
  • Joselma Tavares Frutuoso UFSC
  • Albertina Bonetti UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2010v7n10p70

Palavras-chave:

Doenças cardiovasculares, Doenças crônicas, Promoção à saúde, Prevenção a doenças, Tratamentos alternativos, Modelos assistenciais de saúde

Resumo

O artigo apresenta a experiência realizada por uma equipe de saúde interdisciplinar e multiprofissional, tendo como foco um programa de prevenção para doenças cardiovasculares. No período de 2007 a 2009, participaram desta experiência 480 pessoas, portadoras ou não de doenças crônica, sendo que a maioria pertencia à comunidade universitária. Inicialmente, as pessoas tiveram um atendimento com nutricionista e cardiologista. Paralelamente, foram realizadas palestras mensais para o grupo sobre educação em saúde com temas relacionados ao processo de saúde e adoecimento. Ao final, visando unir medicina convencional a outros modelos assistenciais de promoção e prevenção à saúde, a equipe disponibilizou várias práticas corporais para serem somadas no enfrentamento da doença pelos pacientes. como:  biodanza; práticas aquáticas  (watsu, halliwick e biodanza) e  vivências lúdicas do coração. Os participantes também tiveram atendimento psicológico em grupo, educação nutricional com almoços comunitários e visitas ao supermercado. O monitoramento dessas ações envolveu sobretudo questionários estruturados, relatos verbais, exames clínicos e bioquímicos. A análise dos dados foi organizada em categorias temáticas envolvendo aspectos que influenciavam na adesão ao tratamento assistencial.  Os participantes relataram a importância de tomarem consciência de como estavam agindo,sendo  possível  planejar mudanças positivas em suas atitudes cotidianas, o que contribuiu para uma melhor qualidade de vida e bem-estar psicológico dos participantes do programa. Estas formas diferenciadas de tratamentos disponíveis nos diferentes grupos terapêuticos fortaleceram os valores humanistas associados à recuperação física e emocional dessas pessoas, integrando-os melhor com o mundo, com o outro e consigo mesmo. A experiência contribuiu para a construção do conhecimento e o crescimento profissional, valorizando as ações da equipe de saúde e oferecendo aos participantes um modelo assistencial com foco na promoção  à saúde e prevenção de doenças.

Biografia do Autor

Geny Aparecida Cantos, UFSC

Possui graduação em Farmácia Bioquímica pela Universidade Estadual de Maringá (1979), mestrado em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (1984) e doutorado em Ciências (Bioquímica) pela Universidade Federal do Paraná (1993) e Pós doutorado em Parasitologia Molecualr pelo Centro de Investigações Biológicas de Madrid (2000).Facilitadora/didata em biodança, sendo professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Bioquímica e Parasitologia e Biologia Molecular, atuando principalmente nos seguintes temas: estresse, doenças cardiovasculares, biodança e parasitas intestinais em hortaliças.

Maria Edinéia Rocha

Professora de educação física, facilitadora de watsu/halliwick/biodanza

Joselma Tavares Frutuoso, UFSC

Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1992). Formação em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001). Mestre em Psicologia Experimental pela Universidade de São Paulo (1995). Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Especialista em Psicologia Clínica pelo Instituto de Terapia por Contigências Campinas-SP (2008) Atualmente é professor adjunto-3 da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência Psicologia Experimental, Psicologia Educacional, Psicologia do Desenvolvimento, Psicologia da Apendizagem e Psicologia Clínica (individual ou de grupo), atua nos seguintes temas: dor crônica, saúde do trabalhor, construção de medidas e psicoterapia.
Bacharel em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1992). Formação em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001). Mestre em Psicologia Experimental pela Universidade de São Paulo (1995). Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Especialista em Psicologia Clínica pelo Instituto de Terapia por Contigências Campinas-SP (2008) Atualmente é professor adjunto-3 da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência Psicologia Experimental, Psicologia Educacional, Psicologia do Desenvolvimento, Psicologia da Apendizagem e Psicologia Clínica (individual ou de grupo), atua nos seguintes temas: dor crônica, saúde do trabalhor, construção de medidas e psicoterapia.

Albertina Bonetti, UFSC

Possui mestrado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) e doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Práticas Pedagógicas e na área da Saúde, atuando principalmente nos seguintes temas: educação infantil, práticas corporais, saúde, doença e corpo.

Downloads

Publicado

2010-12-25