“Mil nações moldaram minha cara”: o Brasil, as migrações Sul-Sul e a extensão em Relações Internacionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2019v16n34p154

Palavras-chave:

Extensão Universitária, Raça e Migrações Sul-Sul, Práticas Decoloniais

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar o Projeto de Extensão "Cátedra Sérgio Vieira de Mello: Núcleo de Apoio a Imigrantes e Refugiados” da Universidade Federal de Santa Catarina, com vistas a contribuir com o debate sobre a extensão, nesse momento histórico de reconstituição dos laços entre ensino, pesquisa e extensão. Utilizando-se do método quali-quanti e das teorias Pós e Decoloniais, este trabalho aponta como principais resultados das práticas realizadas no período 2014-2019, a prestação de cerca de 30 mil atendimentos - em parceria com a Pastoral do Migrante, com o Centro de Referência no Atendimento a Imigrantes e Refugiados e com a Defensoria Pública da União - a pessoas de 62 nacionalidades, com preponderância dos sujeitos racializados do Sul Global. Trata-se de um projeto pioneiro que tem promovido encontros não-hieraquizados com a diferença, e tem contribuído para desenhar o perfil migratório de Santa Catarina no contexto da Migração Sul-Sul.

Biografia do Autor

Karine de Souza Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora dos Programas de Pós-graduação stricto sensu em Relações Internacionais e em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina. Pesquisadora Produtividade em Pesquisa PQ CNPq. É titular da Cátedra Jean Monnet - outorgada oficialmente pela União Europeia - e da Cátedra Sérgio Vieira de Mello da Agência das Nações Unidas para Refugiados. É coordenadora do 'EIRENÈ - Centro de Pesquisas e práticas Decoloniais e Pós-coloniais aplicadas às Relações Internacionais e ao Direito Internacional"; - e do projeto de extensão Cátedra Sérgio Vieira de Mello: Núcleo de Apoio a Imigrantes e Refugiados'. 

Daniel Ricardo Castelan, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor adjunto do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Programa de Pós-graduação stricto sensu em Relações Internacionais. Coordenador do Curso de Graduação em Relações Internacionais. Doutor em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ (IESP-UERJ) e mestre em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

Referências

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Trad. de Rosisca Darcy de Oliveira. 8 ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.

SILVA, Karine de Souza; MULLER, Juliana; SILVEIRA, Henrique Martins da. Santa Catarina no roteiro das diásporas: os novos imigrantes africanos em Florianópolis. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 21, n. 2, p.281-292, ago. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/katalysis/article/view/1982-02592018v21n2p281/36972. Acesso em: 31 mar. 2019.

SILVA, Karine; GESTAL, Emanuely. Santa Catarina na rota das migrações: a atuação do Núcleo de Apoio a Imigrantes e Refugiados da Universidade Federal de Santa Catarina. In: ANNONI, Danielle. (Org.). Direito Internacional dos refugiados e o Brasil. 1ed.Curitiba: UFPR, 2018, v. 1, p. 536-555.

UNITED NATIONS. Population Facts September 2019 | No. 2019/4, p. 3. Disponível em: https://www.un.org/en/development/desa/population/migration/publications/populationfacts/docs/MigrationStock2019_PopFacts_2019-04.pdf. Acesso em: 14 nov. 2019.

Publicado

2019-12-19