Feira de estágio e oportunidades: relato de uma ação extensionista sobre o papel social das IES na questão do estágio e empregabilidade

Autores

  • Carlos Henrique de Vasconcellos Ribeiro Universidade Santa Úrsula
  • Adriano Rosa da Silva Universidade Santa Úrsula
  • Paulo César Martinez Y Alonso Universidade Santa Úrsula

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e75894

Palavras-chave:

Universidade, Extensão, Estágio, Hélice Tríplice

Resumo

Objetivo: Relatar e refletir acerca da experiência de uma feira de estágios e oportunidades de uma Instituição de Ensino Superior dentro da cidade do Rio de Janeiro, realizada entre os dias 29 e 30 de maio de 2019. Método: Esta pesquisa é de natureza qualitativa, caracterizando-se como uma pesquisa exploratória e descritiva na medida que apresenta dados coletados durante uma ação extensionista e procura oferecer subsídios de análise sobre um saber fazer pedagógico no ambiente universitário, comprometido com as questões de desenvolvimento social e humano. Resultados: São os seguintes números de visitação: 15 empresas participantes, três colégios da rede privada, e um público estimado em cerca de 977 pessoas. Em relação ao gênero, 640 do público era do sexo masculino e 337 do sexo feminino. Conclusão: O relato de experiencia feito aqui espera contribuir para a discussão do papel da extensão universitária na questão dos eventos que aproximem empresas e comunidade acadêmica, sobretudo no papel da universidade na questão do desenvolvimento econômico e humano da região onde está localizada.

Biografia do Autor

Carlos Henrique de Vasconcellos Ribeiro, Universidade Santa Úrsula

Doutorado em Educação Física pela Universidade Gama Filho. Docente do Mestrado Profissional da Universidade Santa Úrsula.

Adriano Rosa da Silva, Universidade Santa Úrsula

Doutorado em Educação Física pela Universidade Gama Filho. Docente e Coordenador do Mestrado Profissional da Universidade Santa Úrsula.

Paulo César Martinez Y Alonso, Universidade Santa Úrsula

Doutorado em Filosofia da Educacao pelo Consejo Iberoamericano, Peru. Reitor da Universidade Santa Úrsula.

Referências

ANDRADE, A.; PEREIRA, L.; VIEIRA, P.; SILVA, J.; SILVA, A.; BONISSON, M.; CASTRO, J. Dia mais feliz! Relato de uma oficina de arteterapia em um Centro de Atenção Psicossocial. EntreAções: diálogos em extensão, Juazeiro do Norte, v. X, n. X, p. x-x, jan./jun. 2020. Disponível em: https://periodicos.ufca.edu.br/ojs/index.php/entreacoes/issue/view/33. Acesso em: 18 jul 2020.

BRASIL, Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES 7/2018. Diário Oficial da União, Brasília, 19 de dezembro de 2018, Seção 1, pp. 49 e 50.

BRASIL, Presidência da República. Lei 10.097, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L10097.htm. Acesso em: 23 jul 2020.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

DESLANDES, M. S., ARANTES, Á. R. (2017). A extensão universitária como meio de transformação social e profissional. Sinapse Múltipla, 6(2), 179-183.

ETZKOWITZ, H.; ZHOU, C. Triple helix: university-industry-government innovation and entrepreneurship. London: Routledge, 2017.

FORPROEX. FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRAS (FORPROEX). Política Nacional de Extensão Universitária. Gráfica da UFRGS. Porto Alegre, RS, 2012 (Coleção Extensão Universitária; v. 7).

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

GONÇALVES, N. Indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão: um princípio necessário. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 33, n. 3, p. 1229 - 1256, set./dez. 2015.

SINGER, P. I. (2000). Globalização e desemprego: diagnóstico e alternativas. São Paulo: Contexto.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2006.

Downloads

Publicado

2021-04-28