Intervenção fisioterapêutica precoce em lactentes de risco: uma vivência baseada em evidências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e76487

Palavras-chave:

Lactente de Risco, Intervenção Precoce, Fisioterapia

Resumo

Objetivo: Descrever evidências práticas da intervenção fisioterapêutica, vivenciadas no projeto de extensão “Intervenção precoce para lactentes de risco’’, e a contribuição deste na formação profissional de acadêmicos extensionistas e residentes. Método: De 2014 a 2019, foram atendidos 380 lactentes, sendo selecionados para o estudo 307 prontuários com dados completos sobre avaliação, intervenção e reavaliação fisioterapêutica dos lactentes. Resultados: Todos os lactentes considerados de risco devido à prematuridade e/ou baixo peso ao nascimento, apresentaram alterações no desenvolvimento sensório-motor, os quais foram e/ou continuam sendo acompanhados até completarem dois anos. Conclusão: Os resultados permitiram discutir evidências referentes às condições de risco pré, peri e pós-nascimento, a importância da detecção e intervenção precoces no desenvolvimento do lactente de risco, e a participação da família neste processo. Além disso, o projeto permitiu capacitar melhor os acadêmicos e residentes na área de atenção à saúde da criança, favorecendo o cuidado humanizado do lactente na sua integralidade.

Biografia do Autor

Carine Gomes De Fáveri, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta pela Universidade de Uberaba. Residente em Saúde da Criança e do Adolescente da Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Roberta Jéssica Silva Pires, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Acadêmica do Curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Isabella Polo Monteiro, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Acadêmica do Curso de Fisioterapia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro.

Marília Carvalho Borges, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro. 

Mariana Aparecida de Assis Campos, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Especialista em Saúde da Criança e do Adolescente. Hospital Municipal Mário Gatti, Campinas/SP.

Elaine Leonezi Guimarães, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta. Doutora em Fisioterapia. Professora do Departamento de Fisioterapia Aplicada da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Tutora da Residência Integrada Multiprofissional em Saúde da Criança e do Adolescente da UFTM.

Referências

ALMEIDA, Bruna et al. Fatores de risco para o parto prematuro em uma maternidade estadual de referência. Saúde (Sta. Maria), v. 44, n. 2, p. 1-10, 2018.

CABRAL, Thais et al. Analysis of sensory processing in preterm infants. Early Human Development, v. 103, p. 77-81, 2016.

CHASKEL, Roberto et al. Alteraciones em el neurodesarrollo em pré-escolares com antecedente de prematurez: un estudio de corte. Rev.fac.med., v. 26, n. 1, p. 45-54, 2018.

FORMIGA, Cibelle K. M. R.; PEDRAZZANI, Elisete S.; TUDELLA, Eloisa. Intervenção precoce com bebês de risco. Rio de Janeiro: Atheneu, P. 131-160, 2010.

FORMIGA, Cibelle K. M. R.; RAMOS, Bruna A. Programas de intervenção precoce: Orientações gerais e experiências. Revista Dialogo e Perspectivas em educação especial, v. 3, n. 2, 2016.

FORMIGA, Cibelle Kayenne Martins Roberto; LINHARES, Maria Beatriz Martins. Avaliação do desenvolvimento inicial de crianças nascidas pré-termo. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 43, p. 472-480, 2009.

GRANZOTTO, José A.; FONSECA, Silvia S.; LINDEMANN, Flavio L. Fatores relacionados com a mortalidade neonatal em uma Unidade de Terapia Intensiva neonatal na região Sul do Brasil. Revista da AMRIGS, v. 56, n. 1, p. 57-62, 2012.

GUIMARÃES, E. L. Estudo para detecção precoce de sinais indicativos de alterações no desenvolvimento neurosensóriomotor em bebês de risco. 159 f. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil, 2001.

GUIMARÃES, E. L; TUDELLA, E. Estudo para detecção precoce de sinais indicativos de alterações no desenvolvimento neuro-sensório-motor em bebês de risco. São Carlos (SP): Universidade Federal de São Carlos, 2003.

KREY, Francieli et al. Alterações respiratórias relacionadas à prematuridade em terapia intensiva neonatal. Revista Rene, v.17, n.6, p. 766-773, 2016.

MARINI, Bruna P. R.; LOURENÇO, Mariane C.; BARBA, Patricia, C. S. D. Revisão sistemática integrativa da literatura sobre modelos e práticas de intervenção precoce no Brasil. Revista Paulista de Pediatria, v. 35, n. 4, p. 456-463, 2017.

MASCARENHAS, Anne Lizabelle Leite Duarte; DA SILVA, Márcia Regina Farias; TORRES, Maria Betânia Ribeiro. A posição da extensão universitária no espaço acadêmico brasileiro: aspectos legais e campo de lutas. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, v. 18, n. 38, p. 2-16, 2021.

MESQUITA, Mirta; CASARTELLI, Marco. Hiperbilirrubinemia neonatal, encefalopatía bilirrubínica aguda y Kernicterus: La secuencia sigue vigente en el siglo XXI. Pediatr. (Asunción), Asunción, v. 44, n. 2, p. 153-158, 2017.

NOVAK I, MORGAN C. High-risk follow-up: Early intervention and rehabilitation. Handb Clin Neurol, v. 162, p. 483-510, 2019.

NutriSUS. Portal da Secretaria de Atenção Primária a Saúde (SAPS), 2015.

PIPER MC, DARRAH J. Motor assessment of the developing infant. EUA WB: Saunders Company; 1994.

SABOUTE, Maryam et al. The effect of intensive phototherapy on management of hyperbilirubinemia in neonates with the gestational age of 34 weeks and more. Iranian Journal of Neonatology IJN, Mashhad University of Medical Sciences, v. 8, n. 4, p. 83–88, 2017.

SANTOS, Daniel D.; PORTO, Julia A.; LERNER, Rogério. O Impacto do Desenvolvimento na Primeira Infância sobre a Aprendizagem. Comitê Científico Núcleo Ciência Pela Infância, 2014.

SANTOS, Heloisa C. V.; PACHECO, Márcia M. D. R. Os fatores de risco ao desenvolvimento da criança em contextos de creche pública. Revista Exitus, v. 6, n. 2, p. 48-67, 2016.

SAVIO, Josiani et al. Perfil clínico de neonatos internados em uma UTI do sul catarinense. Inova Saúde, v. 5, n. 1, p. 117-128, 2016.

SETUMBA, Mario et al. Mortalidade em recém-nascidos de baixo peso ao nascer: limites e desafios para o acesso universal. Port J Public Health, v. 36, n. 2, p. 95-101, 2018.

SILVA, Carla C.V. Atuação da fisioterapia através da estimulação precoce em bebes prematuros. Revista Eletrônica Atualiza Saúde, v. 5, n. 5, p. 29-36, 2017.

SILVA, Polyana et al. Influence of maternal age in perinatal conditions in live births of São Luís, Maranhão. Revista Fun Care Online, v.12, p. 281-287, 2020.

Urzêda, RN, et al. Reflexos, reações e tônus muscular de bebês pré-termo em um

programa de intervenção precoce. Revista Neurociências, v. 17(4), p. 319-325, 2009.

VALVERDE, Bianca B.; JURDI, Andréa P. S. Análise das Relações entre Intervenção Precoce e Qualidade de Vida Familiar. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v. 26, n. 2, p. 283-298, 2020.

WALKER, Susan et al. Child development: risk factors for adverse outcomes in developing countries. The Lancet, v. 369, n. 9556, p. 145-157, 2007.

Downloads

Publicado

2021-08-26