Covid-19 e os catadores de materiais recicláveis: riscos, medos e angústias de uma profissão esquecida

Autores

  • Isabella Cristina Sousa Rocha Universidade Federal do Piauí
  • Israel Sousa Costa Universidade Federal do Piauí
  • Vitória Talita de Oliveira Ferreira Universidade Federal do Piauí
  • Jairo de Carvalho Guimarães Universidade Federal do Piauí http://orcid.org/0000-0002-5901-5026
  • Érica Vitória da Costa Miranda Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e80981

Palavras-chave:

COVID-19, Catadores, Recicláveis, Riscos, Repercussões, Piauí

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar os fatores de risco da pandemia da Covid-19 que acometem os catadores de materiais recicláveis do lixão de Floriano-PI e é resultado de um Projeto de Extensão desenvolvido no campus Amílcar Ferreira Sobral da Universidade Federal do Piauí (UFPI). No que concerne à metodologia, a abordagem é qualitativa, de natureza descritiva, sendo realizada uma pesquisa de campo com entrevista com os catadores que trabalham no lixão municipal. O lixão não é controlado e não dispõe de segurança, ficando aberto para qualquer pessoa se desfazer de materiais inservíveis de toda espécie. Os principais resultados obtidos foram de que, embora a profissão já seja naturalmente muito arriscada, os trabalhadores estão sujeitos a riscos adicionais, tendo em vista que os resíduos que eles selecionam podem vir impregnados com o vírus. Além disso, os entrevistados relataram que o fechamento do comércio, com destaque para bares e restaurantes, somado à redução expressiva de eventos promovidos pela prefeitura e por organizadores particulares – reflexos da implementação do lockdown – prejudicou bastante a atividade, tendo em vista que diminuiu consideravelmente o volume de itens que são utilizados para a reciclagem, como latinhas de cerveja e de refrigerante, garrafas PET, caixas de papelão etc., os quais são os mais vendidos por eles. Para além da preocupação com o risco de contaminação e com a falta de um controle sistematizado na coleta domiciliar e no descarte desordenado dos resíduos no lixão, os trabalhadores tiveram redução substancial na suas rendas familiares, produzindo ainda mais vulnerabilidade social.

Biografia do Autor

Isabella Cristina Sousa Rocha, Universidade Federal do Piauí

Graduanda em Administração pela Universidade Federal do Piauí, Campus Amílcar Ferreira Sobral (CAFS). Bolsista do Projeto de Extensão PIBEX 2020-2021.

Israel Sousa Costa, Universidade Federal do Piauí

Graduando em Administração pela Universidade Federal do Piauí, Campus Amílcar Ferreira Sobral (CAFS). Bolsista do Projeto de Extensão PIBEX 2020-2021.

 

Vitória Talita de Oliveira Ferreira, Universidade Federal do Piauí

Graduanda em Administração pela Universidade Federal do Piauí, Campus Amílcar Ferreira Sobral (CAFS). Bolsista do Projeto de Extensão PIBEX 2020-2021.

Jairo de Carvalho Guimarães, Universidade Federal do Piauí

Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas (PPGPP) vinculado ao CCHL - Centro de Ciências Humanas e Letras da Universidade Federal do Piauí. Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); mestrado em Controladoria e Administração pela Universidade Federal do Ceará (UFC); graduação em Administração (FACE - Fortaleza). 

Érica Vitória da Costa Miranda, Universidade Federal do Piauí

Graduanda em Administração pela Universidade Federal do Piauí, Campus Amílcar Ferreira Sobral (CAFS). Bolsista do Projeto de Extensão PIBEX 2020-2021.

Referências

ABRELPE. PANORAMA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO BRASIL 2018/2019, Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, 2018. Disponível em: https://abrelpe.org.br/download-panorama-2018-2019/. Acesso em: 24 fev. 2021.

AMORIM, Eduardo L. C. de. Ferramentas de Análise de Risco. Apostila do curso de Engenharia Ambiental da Universidade Federal de Alagoas, CTEC, Alagoas: 2010. Disponível em http://pt.scribd.com/doc/71505557/Apostila-de-ferramentas-de-analise-de-risco. Acesso em 11 abr. 2021.

ANDRADE, Maria M. Introdução à metodologia do trabalho cientifico: elaboração de trabalhos na graduação. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BESEN, Gina R; GUTBERLET, Jutta. Os catadores de materiais recicláveis e a COVID-19. Diálogos Socioambientais na Macrometrópole Paulista. v. especial, n. 5, p. 26-27, maio, 2020.

BOSCHETTI, Ivanete. Expropriação de direitos e reprodução da força de trabalho. In.: Boschetti, I. (org.). Expropriação e direitos no capitalismo. São Paulo: Cortez, 2018.

BRASIL, Lei N° 12.305 de 02 de agosto de 2010 - Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm Acesso em: 24 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Painel Coronavírus. Disponível em https://covid.saude.gov.br/. Acesso em 06 dez. 2020.

CAMARDELO; Ana Maria Paim; FERRI, Caroline. Vidas recicladas: vulnerabilidade e risco social a partir de narrativas de catadores e catadoras de resíduos sólidos de Caxias do Sul. Revista Direito Ambiental e Sociedade, v. 10, n. 2, p. 7-34, maio/ago., 2020.

CINQUETTI, Heloisa Sisla. Lixo, resíduos sólidos e reciclagem: uma análise comparativa de recursos didáticos. Revista Educar, Curitiba, n. 23, p. 307-333, 2004.

COSTA, Rita C. P.; FARDIM, Simone V. S.; MACHADO, Marilene A. G.; MOÇO, Fabiana S.; OLIVEIRA, Lilian P. F.; ORÉQUIO, Valkíria R. T.; SOUZA, Ruth R. Reciclagem: uma ferramenta para se trabalhar a Educação Ambiental de forma interdisciplinar nas escolas, promovendo a conscientização sobre a preservação do Meio Ambiente. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), v. 15 n. 5, p. 173-183, 2020. DOI: https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.10456.

COUCH, Kenneth A.; FAIRLIE, Robert W.; XU, Huanan. Early Evidence of the Impacts of COVID-19 on Minority Unemployment. Journal of Public Economics, v. 192, n. 104287, p. 1-11, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jpubeco.2020.104287.

CYRNE, Carlos C. S.; BARDEN, Júlia E.; SINDELAR, Fernanda C. W.; DULLIUS, Maria M.; BUTTENBENDER, Bruno. N. Gestão de Resíduos, Cidadania e Educação Ambiental: a subversão do conceito de função. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), v. 15, n. 5, p. 409-423, 2020. DOI: https://doi.org/10.34024/revbea.2020.v15.9879.

FARIA, José H. Gestão participativa: relações de poder e de trabalho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2009

FILARDI, Fernando; SIQUEIRA, Elisabete S.; BINOTTO, Erlaine. Os catadores de resíduos e a responsabilidade socioambiental: a percepção sobre seu lugar social. Revista de Gestão Social e Ambiental-RGSA, São Paulo, v. 5, n. 3, p. 17-35, 2011. DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v5i3.306

FRASER, Nancy. Capitalismo em debate: Uma conversa na teoria crítica. São Paulo: Boitempo, 2020.

FREY, Klaus. Democracia, ciência e políticas públicas no contexto da COVID-19. Diálogos Socioambientais na Macrometrópole Paulista. v. especial, n. 5, p. 26-27, maio, 2020.

GIL, Antonio C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GODOY, Arilda S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000200008.

GOUVEIA, Nelson; KANAI, Claudio. Pandemics, cities and Public Health. Revista Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 23, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422asoc20200120vu2020l3id.

HEMPE, Cléa; NOGUERA, Jorge O. C. A educação ambiental e os residuos sólidos urbanos. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental REGET/UFSM, v. 5, n. 5, p. 682-695, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/223611704117.

HOEFELL, Maria da Graça; CARNEIRO, Fernando F.; SANTOS, Leonor M. P.; GUBERT, Muriel B.; AMATE, Elisa M.; SANTOS, Wallace. Acidentes de trabalho e condições de vida de catadores de resíduos sólidos recicláveis no lixão do Distrito Federal. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 16, n. 3, p. 774-785, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2013000300020.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Apenas 13% dos resíduos sólidos urbanos no país vão para reciclagem, 2017. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=29296. Acesso em 11 dez. 2020.

LAGE, Mariana L. C. SOUZA, Eloisio M. Da cabeça aos pés: racismo e sexismo no ambiente organizacional. Revista de Gestão Social e Ambiental - RGSA, São Paulo, Edição Especial, p. 55-72, dez., 2017. DOI: https://doi.org/10.24857/rgsa.v0i0.1378.

LAYRARGUES, Philippe P. Educação para a gestão ambiental: a cidadania no enfrentamento político dos conflitos socioambientais. In: LOUREIRO, Carlos F. B.; LAYRARGUES, Philippe P.; CASTRO, Ronaldo. S. (Org.). Sociedade e Meio Ambiente: a educação ambiental em debate. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

LIPOVETSKY, Gilles. A sociedade Pós-moralista: o crepúsculo do dever e a ética indolor dos novos tempos democráticos. Barueri, SP: Manole, 2005.

LUZZI, Daniel. Educação Ambiental: Pedagogia, Política e Sociedade. In.: PHILIPPI JR, Arlindo; PELICIONI, Maria Cecília Focesi. Educação Ambiental e Sustentabilidade. 2. ed. Barueri, SP: Manole, 2014.

MAHLER, Claudio Fernando. Lixo urbano: o que você precisa saber sobre o assunto. Rio de Janeiro: Revan: FAPERJ, 2012.

MARCONI, Marina A.; LAKATOS, Eva M. Metodologia do Trabalho Cientifico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7. Ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MARODIN, Viviane S.; BARBA, Inês S.; MORAIS, Gláucia A. Educação Ambiental com os temas geradores lixo e água e a confecção de papel reciclável artesanal. In.: 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, 2, 2004. Anais…, Belo Horizonte-MG, 2004.

MIGUEL, Luis F. Desigualdades e democracia: o debate da teoria política. São Paulo: Editora Unesp, 2016.

MIGUEL, Luis F. Democracia e representação: território em disputa. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

NEVES, José L. Pesquisa qualitativa – Características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 1, n. 3, 2º semestre, p. 1-5, 1996.

OLSEN, Wendy. Coleta de dados: debates e métodos fundamentais em pesquisa social. Porto Alegre: Penso, 2015.

ONU. Organização das Nações Unidas. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS. Disponível em https://brasil.un.org/pt-br/sdgs. Acesso em 18 abr. 2021.

PLATTO, Sara.; WANG, Yanqing.; ZHOU, Jinfeng.; CARAFOLI, Ernesto. History of the COVID-19 pandemic: Origin, explosion, worldwide spreading. Biochemical and Biophysical Research Communications. v. 538, p. 14-23, jan., 2021. DOI: 10.1016/j.bbrc.2020.10.087.

RIBEIRO, Daniel Véras; MORELLI, Márcio Raymundo. Resíduos Sólidos: Problema ou Oportunidades? Rio de Janeiro: Interciência, 2009.

RYAN, Gery W.; BERNARD, H. Russell. Techniques to identify themes. Field Methods, v. 15, n. 1, p. 85-109, 2003. DOI: https://doi.org/10.1177/1525822X02239569

SBMFC. Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Tipos recomendados de equipamentos de proteção individual no contexto do covid-19, de acordo com o tipo de ambiente, pessoa alvo e tipo de atividade. Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/wp-content/uploads/2020/03/Tabela-Traduzida-EPI-OMS.pdf.pdf.pdf.pdf.pdf. Acesso em 19 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-16