Valoração econômica dos serviços ecossistêmicos da zona costeira - o caso do PNMLJ pelo método dos custos de viagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2021.e63297

Palavras-chave:

Zona costeira, Unidade de Conservação, Serviços ecossistêmicos, Valoração econômica ecossistêmica, Método do Custo de Viagem

Resumo

Classificar e estimar o valor econômico dos serviços ecossistêmicos da Zona Costeira poderá chamar a atenção da sociedade para a importância dos benefícios gerados pelos seus ecossistemas. Assim, utilizou-se o Parque Natural Municipal da Lagoa do Jacaré das Dunas do Santinho (PNMLJ) como estudo de caso, no intuito de demonstrar a relevância ecológica e socioeconômica de serviços ecossistêmicos (SEs), em especial os aqueles culturais de recreação e lazer. Na área de 221,07ha foram mapeados cinco ecossistemas naturais, compreendidos por 53,29% de Mata Atlântica, 24,47% de Restinga, 14,17% de Duna, 5,09% de Costão rochoso e 2,25% de Banhado. Também foram identificados dois sistemas representativos de uso do solo: o Urbano com 0,70% e o Reflorestamento com 0,02%. Somado ao Parque a área de 119,57ha do ecossistema praial, totalizou 340,63ha de área de estudo. Utilizou-se a Classificação Internacional de Serviços Ecossistêmico (CICES) para elaborar um quadro sintético dos SEs. Ao todo foram identificados 20 serviços ecossistêmicos, sendo: 4 de Provisão, seguidos por 5 de Regulação e Manutenção; e, 11 Culturais. Desses últimos, 6 SEs culturais de recreação e lazer foram escolhidos para a valoração econômica pelo Método dos Custos de Viagem.O valor resultante do Uso do PNMLJ foi estimado em R$ 25.897.281,78 por ano. Esse valor estabelecido pelo turismo anual demonstra o valor agregado dos SEs para alavancar a economia em diversos setores. O uso desses serviços poderia ser taxado para a manutenção e conservação dos SEs, garantindo a qualidade de vida da sociedade humana e a renda proveniente do mercado turístico. Aos tomadores de decisão e gestores de áreas naturais remanescentes na Zona Costeira, cabe utilizar dos conhecimentos aqui expostos para acelerar os processos efetivos de preservação dessas áreas, seja por meio da elaboração e efetivação de planos de manejo; criação de novas Unidades de Conservação; estimativa de valor para compensações ambientais; contribuição financeira pelo uso dos SEs, valor de referência para aplicação de multas; entre outros.

Biografia do Autor

Otelino Nunes da Silva, Universidade Federal de Santa Catarina

Técnico em Meio Ambiente, Geógrafo e Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Geografia.

Marinez Eymael Garcia Scherer, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina e doutorado em Meio Ambiente e Gestão de Recursos Vivos Marinhos /Ciências do Mar pela Universidade de Cadiz/Espanha. Professora de gestão costeira integrada no Depto. de Geociências e nos Programas de Pós-Graduação em Geografia e em Oceanografia da Universidade Federal de Santa Catarina. Líder do Grupo de Pesquisa de Gestão Costeira Integrada, coordenadora do LAGECI (Laboratório de Gestão Costeira Integrada) e Vice-Líder do Grupo de Pesquisa SandS - Surf and Sustainability. Professora convidada do mestrado em Gestão de Áreas Litorais da Universidade de Cadiz/Espanha. Diretora-Técnica da Agência Brasileira de Gerenciamento Costeiro. Secretaria executiva do Conselho do Fórum do Mar.

Referências

ANGELO, Priscila Garcia. Estimativa do valor econômico-ecológico da planície de inundação do Rio Araguaia e influência do público-alvo na valoração ambiental. Dissertação de Mestrado Ecologia e Evolução do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2010.

BRANT, Francisco Formagini. Valoração Econômica Ambiental como Estratégia de Conservação dos Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Macaé – Uma Proposta Metodológica. Dissertação de Mestrado – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Fluminense / IFF [Macaé] 2011.

CASTRO, J.W. de A.; Valentini, E.; Rosman, P.C.C. Estudo diagnóstico do comportamento atual da linha de costa entre os rios Pacoti e Tabuba, CE. 37º Congresso Brasileiro de Geologia. São Paulo, dez. 1992. Boletim de resumos expandidos, v.1. Simpósios, 1992, p. 27

CICES - COMMON INTERNATIONAL CLASSIFICATION OF ECOSYSTEM SERVICES for Integrated Environmental and Economic Accounting. European Environment Agency (EEA). Disponível em: https://cices.eu/resources/. Acesso em 02/07/2018.

CORRÊA, Jacklinne Matta; FERREIRA, Simone Dias. Valorização ambiental: proposição do método de valorização para Estação Ecológica Maracá-Jipióca. Trabalho de Conclusão de Curso (graduação) – Fundação Universidade Federal do Amapá, Coordenação do Curso de Bacharelado em Ciências Ambientais. 58 p. Macapá, 2013.

COSTANZA, Robert; Groot, Dolf de; Braat, L.; Kubiszewski, Ida; Fioramonti, Lorenzo; Sutton, Paul; Farber, Steve; Grasso, Monica. Twenty years of ecosystem services : How far have we come and how far do we still need to go?In: Ecosystem Services 28 (2017). p. 1-16. Disponível em: http://www.robertcostanza.com/wp-content/uploads/2017/02/2017_J_Costanza-et-al.-20yrs.-EcoServices.pdf. Acesso em 03/03/2018.

CSF - Conservation Strategy Fund. Valoração dos Serviços Ecossistêmicos: Classe de Valores. Vídeos educativos. Disponível em: https://www.conservation-strategy.org/pt/csf-econ-video-lessons/pt. Acesso em: 04/03/2018

FONSECA, Reinaldo Aparecida; Lima, Adriana Barreto; Rezende, José Luiz Pereira de. Métodos de valoração dos bens e serviços ambientais: uma contribuição para o desenvolvimento regional sustentável. Eixo temático: 3. Desenvolvimento regional. In: 4° Congresso Internacional Governo, Gestão e Profissionalização em Âmbito Local Frente aos Grandes Desafios de Nosso Tempo. Belo Horizonte, Brasil, 2013.

GOOGLE MAPS. Aplicativo de pesquisa e visualização de mapas e imagens de satélite. Disponível em https://www.google.com.br/maps. Acesso em 17/03/2019.

LIMA, A. de S., FIGUEIROA, A. C., GANDRA, T. B. R., PEREZ, B. H. M., SANTOS, B. A. Q., SCHERER, M. E. G. Informação de base ecossistêmica como ferramenta de apoio à gestão costeira integrada da Ilha de Santa Catarina, Brasil. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 44, p. 20–35, 2018.

MAYNARD, Simone; James, David; Davidson, Andrew. The Development of an Ecosystem Services Framework for South East Queensland. Environmental management. 2010.

MEA – MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT. Ecosystems and Human Well-Being: Synthesis. Washington, Island Press, 2005.137p.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Gerência de Biodiversidade Aquática e Recursos Pesqueiros. Ecossistemas costeiros e marinhos no Brasil. Caracterização da Zona Costeira e Marinha. Panorama da conservação dos ecossistemas costeiros e marinhos no Brasil. Brasília: MMA/SBF/GBA, 2010. 148 p.

OCHOA, Carlos. Marketing and Innovation Manager da Netquest. Specialist in Online Market Research, Online Panels, Technological Product Management, Online Marketing. Disponível em: https://www.netquest.com/blog/br/blog/br/qual-e-o-tamanho-de-amostra-que-preciso . Acesso em 15/11/2018.

PIRES, Juliana. O potencial de florianópolis no desenvolvimento do turismo de negócios e eventos. Monografia apresentada ao Curso de Ciências Econômicas, na Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. Florianópolis. 2015.

PMF (2016). Prefeitura Municipal de Florianópolis. Lei nº 9948, de 07 de janeiro de 2016. Dispõe sobre a criação da unidade de conservação Parque Natural Municipal Lagoa do Jacaré das Dunas do Santinho. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a1/sc/f/florianopolis/lei-ordinaria/2016/995/9948/lei-ordinaria-n-9948-2016-dispoe-sobre-a-criacao-da-unidade-de-conservacao-parque-natural-municipal-lagoa-do-jacare-das-dunas-do-santinho?q=9948%2C+DE+07+DE+JANEIRO++DE+2016. Acesso em 22/03/2018.

SILVA, Otelino Nunes da. O urbano em um ambiente praial – transformações socioespaciais na localidade do Santinho ocorridas pós década de 70. Monografia apresentada ao Curso de Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina. 2010. 138p.

SILVEIRA, Vanessa Cotta. Valoração econômica e percepção ambiental da área de proteção ambiental estadual cachoeira das andorinhas – sub-bacia do Rio das Velhas – MG. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Ouro Preto, MG. 2011.

SUGUIO, K. 1992. Dicionário de geologia marinha: com termos correspondentes em inglês, francês e espanhol. São Paulo: T. A. Queiroz, 1992. 171 p.

Downloads

Publicado

2021-09-03

Edição

Seção

Artigos