GAIA T.S. – CONTRIBUIÇÕES E MATURIDADE PARA TRANSIÇÃO DE SERVIÇOS

Conteúdo do artigo principal

Leonardo Santiago Sidon da Rocha
Rodolfo Miranda de Barros

Resumo

Objetivo: Apresentar modelo de maturidade e capacidade para implantação da gestão de transição de serviços baseados nas boas práticas do Information Technology Infrastructure Library (ITIL).
Design/Metodologia/Abordagem: A metodologia proposta foi desenvolvida pela Fábrica de Projetos em TIC do Departamento de Computação da Universidade Estadual de Londrina. A GAIA apresenta uma metodologia consolidada por vários estudos que segue alguns estágios como levantamento do estado da arte, criação do protótipo em versão inicial, seleção de estudo de caso e validação para consolidação do Framework.
Resultados: Os resultados preliminares do estudo apontam para a eficiência do modelo no contexto organizacional de instituições que lidam com serviços de TI. Estes serviços podem ser próprios ou terceirizados. Com a aplicação da pesquisa foi possível traçar melhor os processos e subprocessos dos serviços disponíveis no GAIA Transição de Serviços e prepará-lo melhor para o estudo de caso a ser realizado posteriormente.
Limitações da pesquisa: O estudo apresenta como limitação inicial ser avaliado a partir da apreciação de especialistas que auxiliaram no desenho do modelo.
Implicações práticas: Para avaliação do modelo inicial foi importante que os perfis dos profissionais especialistas tivessem aderência à área de conhecimento da computação por ser ela a responsável pela gestão dos serviços de TI de uma organização.
Originalidade/valor: O número de fracassos na transição de serviços de TI e seu consequente impacto nas organizações mostram que a falta de conhecimento para a implantação de gestão da Transição de Serviços ainda é algo que carece de pesquisas. A proposição do modelo parte, então, da constatação dessa carência do “como” fazer.

Detalhes do artigo

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Leonardo Santiago Sidon da Rocha, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Ciência da Computação pelo Departamento de Computação da Universidade Estadual de Londrina.

Rodolfo Miranda de Barros, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutor em Engenharia Elétrica
Universidade Estadual de Londrina (UEL)