CARREIRA E BEM-ESTAR: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS ANALISTAS DE SISTEMAS DO PODER JUDICIÁRIO DE SANTA CATARINA

Conteúdo do artigo principal

Marcos César Perepelícia
Helen Fischer Günther
https://orcid.org/0000-0001-9907-0284

Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar a percepção do corpo de analistas de sistemas do Poder Judiciário de Santa Catarina quanto às suas perspectivas de carreira na organização e o seu impacto na intenção de rotatividade destes profissionais.Design/Metodologia/Abordagem: Realizou-se coleta de dados mediante questionário eletrônico, com cinco conjuntos de questões acerca de percepções individuais relativas ao envolvimento com o trabalho, à satisfação com o trabalho, o comprometimento organizacional afetivo, à intenção de rotatividade e à percepção de sucesso na carreira. Para fins de análise, somente foram consideradas as três primeiras dimensões, que se referem à sensação de bem-estar no trabalho segundo o modelo adotado, relacionadas à intenção de rotatividade. Os dados coletados foram tabulados e analisados por meio de técnicas estatísticas, tais como média, desvio padrão e correlações.Resultados: Os resultados obtidos demonstraram que as dimensões de bem-estar no trabalho exercem moderado impacto sobre a intenção de rotatividade dos profissionais, devido ao formato do modelo hipotético. Conclui-se que a qualidade do ambiente de trabalho encontrado exerce impacto na intenção de seus profissionais em permanecer na organização, em especial no que diz respeito aos sentimentos que nutrem em relação à instituição.Originalidade/valor: Se os profissionais mantiverem comprometimento afetivo com a organização e se seus sentimentos de satisfação e envolvimento com seus colegas, com a estrutura de trabalho e as tarefas que lhes são delegadas estejam em alta é bastante possível que as perdas de pessoal diminuam.

Detalhes do artigo

Seção
Artigos