Submissão Aberta

DOSSIÊ

"Zika, ciência e antropologia"

Organizadoras:

Luísa Reis Castro
Programa de Pós-Graduação em História, Antropologia e Ciência, Tecnologia e Sociedade/Massachusetts Institute of Technology

Soraya Fleischer

Departamento de Antropologia/Universidade de Brasília

 

Jean Segata

Departamento de Antropologia/Universidade Federal do Rio Grande do Sul

 

Esse é um dossiê sobre a relação entre a pesquisa, sujeitos de pesquisa, pesquisadores/as e a ciência com a epidemia do vírus Zika. No final de 2015 e 2016, o vírus da Zika ganhou notoriedade nacional e internacional devido a sua associação a fetos e bebês com microcefalia e outras deficiências, que hoje em dia se convencionou chamar de Síndrome Congênita do Vírus Zika. A epidemia de Zika trouxe uma série de questionamentos e desafios para a pesquisa científica, para a implementação de políticas públicas e para as relações sociais entre as pessoas impactadas pela doença. Vários trabalhos antropológicos já buscaram examinar questões sobre maternidade em tempos de Zika, cuidado de crianças com deficiência e Estaado e políticas públicas nacionais e internacionais ligadas à epidemia.

 

O presente dossiê visa contribuir para essa discussão a partir de um foco ainda não abordado diretamente na literatura antropológica sobre a epidemia. O que o vírus da Zika significou para a produção de conhecimento científico, para o trabalho de cientistas e para a relação da ciência com o desenho de políticas de saúde? Que pesquisas têm sido produzidas, a partir de que áreas, com que enfoques, parcerias e fontes de financiamento? Quais têm sido os retornos e devolutivas direcionadads às populações estudadas e/ou atingidas pela epidemia? Como os resultados têm sido divulgados, em que mídias, de que países, em que língua e regime de acesso aos periódicos? As pesquisas científicas sobre o vírus Zika podem ainda apresentar “efeitos colaterais”, com desdobramentos iatrogênicos, anti-éticos, financeiros, comunitários, políticos, pessoais etc.?

 

Portanto, o objetivo geral do dossiê é gerar um olhar antropológico sobre as ciências do vírus Zika, no sentido de mapear e analisar debates, apontar para as controvérsias e complexidades das relações entre as partes envolvidas, avançar para o entendimento da epidemia como um todo. A ideia é que seja uma contribuição para, com e da Antropologia.

 

Os artigos devem ser submetidos no SEER do periódico até o prazo de 15/09/2019. Dúvidas e informações, pelo e-mail: luisarc@mit.edu  ou  ilha.revista@gmail.com