Da cultura da diferença à diferença das culturas: A apropriação do conceito de cultura no discurso de primatólogos

Autores

  • Guilherme José da Silva e Sá UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Cultura, Primatólogos, Antropologia da Ciência, Relação Humanos x Animais não-humanos

Resumo

Historicamente, a Antropologia, entre as ciências sociais, tem conservado o usufruto do monopólio do conceito de cultura. Contudo, a ciência contemporânea apresenta problemas que revitalizam o debate acerca da abrangência desse conceito. De um lado, as recentes descobertas da biologia molecular indicam grande similaridade entre os genomas de seres humanos e de outros grandes primatas, de outro, a biologia comportamental e alguns primatólogos efetivam essa aproximação utilizando o termo “cultura” para classificar e categorizar as atividades dos grupos que pesquisam. A “cultura”, como a concebemos hoje, é plural, mas será possível expandir o seu alcance de um plano interétnico em direção a um interespecífico? Proponho empreender uma incursão ao tema das apropriações do conceito de cultura por primatólogos segundo uma perspectiva relativista, sugerindo que a antropologia assuma uma postura mais inclusiva das noções de “cultura” emergentes, e criticando a idéia associativa e equivalente de “cultura” entre humanos e outros primatas.

Biografia do Autor

Guilherme José da Silva e Sá, UFRJ

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Antropologia Social Museu Nacional – Universidade Federal do Rio de Janeiro Professor substituto no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Santa Maria.

Downloads

Publicado

2005-01-01

Edição

Seção

NÚMERO 2: Artigos