Sons e Espacialidade, os Caminhos nos Cantos e Danças Guarani

Autores

  • Deise Lucy Oliveira Montardo Universidade Federal do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2018v20n1p145

Palavras-chave:

Etnomusicologia, Antropologia da Música, Guarani, Kaiowá, Antropologia da Dança

Resumo

Neste artigo faço uma reflexão sobre a importância das transcrições nos estudos de música
e de dança indígenas, realçando os percursos interpretativos que me levaram a compreensão de que nos rituais guarani são percorridos caminhos que levam os participantes ao encontro dos heróis criadores e a outros seres espirituais. Defendo o esforço dedicado a criar ferramentas teórico-metodológicas para realizar transcrições que auxiliem a escuta e a observação dos rituais em movimentos que, dialogicamente, auxiliem no entendimento desses universos.

Biografia do Autor

Deise Lucy Oliveira Montardo, Universidade Federal do Amazonas

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (1989), mestrado em História, com habilitação em Arqueologia, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1995) e doutorado em Ciência Social (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é professora associada I da Universidade Federal do Amazonas. Foi presidenta da Associação Brasileira de Etnomusicologia (ABET), na gestão 2013/2015. Tem experiência nas áreas da Antropologia e da Arte, com ênfase em Etnomusicologia, atuando principalmente nos seguintes temas: antropologia da arte, etnologia indígena, etnomusicologia, música e xamanismo.

Downloads

Publicado

2018-10-01

Edição

Seção

Dossiê Sons e Etnografias