Mundo quase árido

Rondinelly Gomes Medeiros

Resumo


Neste ensaio percorremos as formas sob as quais os processos colonizadores tomaram o sertão semiárido brasileiro de assalto, desde a invasão armada do século XVII até os recentes empreendimentos industriais, apontando alguns de seus desdobramentos político-epistêmicos e pressupostos estético-ontológicos. Nossa intenção é mostrar que o semiárido é transformado em uma wasteland de forma a se propagar a ideia de que o Nordeste brasileiro precisa ser salvo de si mesmo. Entretanto, os multiformes modos de vida que re-existem por baixo, por dentro e contra o processo de colonização são exemplos de resistência criativa e cosmopolíticas.

Palavras-chave


Sertão; Semiárido; Colonização; Antropoceno; Cosmopolítica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8034.2019v21n1p21

Ilha R. Antr., Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC,  Florianópolis, SC, Brasil, ISSNe 2175-8034