Do contrato ao status: as terras indígenas e o Supremo Tribunal Federal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2019v21n1p226

Resumo

O artigo tem por objetivo discutir a noção constitucional de terra tradicionalmente ocupada, a partir dos fundamentos jurídicos, antropológicos e indígenas em que se ancoram os processos de demarcação de terras indígenas, explorando os limites das intepretações recentes em torno do conceito.

Biografia do Autor

Andressa Lewandowski, Professora da UNILAB

Doutora em Antropologia Social, professora do departamento de antropologia  UNILAB.

Desenvolve pesquisa nas áreas de antropologia do Estado e do Direito.

Downloads

Publicado

2019-10-07

Como Citar

LEWANDOWSKI, Andressa. Do contrato ao status: as terras indígenas e o Supremo Tribunal Federal. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 226–257, 2019. DOI: 10.5007/2175-8034.2019v21n1p226. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2019v21n1p226. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Cosmopolíticas da Terra contra os limites da territorialização