Políticas e Subjetividades nos “Novos Movimentos Culturais”

Autores

  • Marcio Goldman Museu Nacional/UFRJ

Resumo

O ponto de partida deste volume foi a percepção de que, ao longo dos últimos anos, um grande número de antropólogos vem se dedicando ao estudo de um certo tipo de fenômeno para o qual diferentes nomes foram oferecidos e em relação ao qual distintas perspectivas teóricas e metodológicas foram adotadas. Trata-se, à primeira vista, daquilo que, já há bastante tempo, vem sendo designado como “novos movimentos sociais”, expressão que costuma designar um conjunto algo heteróclito de lutas que, nas décadas de 1960 e 1970, pareciam estar substituindo o “velho” movimento operário. Por outro lado, ao longo dos anos 1990, foi reforçada uma tendência para que a noção de “cultura” passasse a ocupar o centro de discursos e práticas de um sem número de grupos, o que nos levou a sugerir a designação de “novos movimentos culturais” para essa modulação sofrida pelos novos movimentos sociais. Nesse sentido, nos pareceu que as categorias analíticas adequadas para o estudo desse fenômeno ainda se encontram em fase de elaboração, e que se continua a acionar noções como identidade, política e cultura como se a singularidade dos processos estudados, seu caráter eminentemente micropolítico, as subjetividades neles envolvidas e as concepções nativas do que seriam cultura, política ou identidade não importassem muito. O objetivo básico desse dossiê é justamente propor a adoção de uma perspectiva que leve em conta essas variáveis.

Biografia do Autor

Marcio Goldman, Museu Nacional/UFRJ

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense (1979), mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984) e doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1991). Atualmente é Professor Associado do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS), Departamento de Antropologia, Museu Nacional, UFRJ. É bolsista da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro e bolsista de produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Suas áreas de atuação dentro da antropologia incluem Antropologia Política, Antropologia da Religião, Teoria Antropológica, Antropologia Simétrica e Religiões Afro-Brasileiras. É autor de "Razão e Diferença. Afetividade, Racionalidade e Relativismo no Pensamento de Lévy-Bruhl (1994); "Alguma Antropologia" (1999), "Como Funciona a Democracia. Uma Teoria Etnográfica da Política" (2006), e co-organizador de "Antropologia, Voto e Representação Política" (1996). Pesquisa atualmente as relações entre religião, poder e socialidade nas religiões afro-brasileiras na cidade de Ilhéus no sul da Bahia.

Downloads

Publicado

2007-01-01

Como Citar

GOLDMAN, Marcio. Políticas e Subjetividades nos “Novos Movimentos Culturais”. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 9, n. 1, 2, p. 008–022, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/6315. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Introdução