Xamanismos guarani e tradução no Encontro de Saberes

Autores

  • Isabel Santana de Rose Universidade Federal de Alagoas
  • Geraldo Karaí Okenda

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2021.e71416

Resumo

Neste trabalho, propomos abordar o material de um dos módulos da disciplina “Artes e ofícios dos saberes tradicionais: curas e cuidados”, vinculada à Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG. Este módulo foi ministrado por Alcindo Wherá Tupã e Geraldo Karaí Okenda, lideranças espirituais guarani de Santa Catarina. Com base no material das aulas, chamamos atenção para a criatividade presente em suas falas ao levantar aspectos centrais da cosmologia e do sistema xamânico guarani, procurando traduzi-los para os alunos não-indígenas. Também propomos relacionar este material nossas pesquisas anteriores sobre a participação dos moradores da aldeia Yynn Morothi Wherá (Biguaçu, SC) em uma rede xamânica contemporânea denominada Aliança das Medicinas. Trata-se de um movimento protagonizado especialmente pelos integrantes de família uma extensa indígena e que se encontra ligado a um projeto amplo de fortalecimento do xamanismo e de manutenção do nhandereko ou “modo de ser” guarani.

Biografia do Autor

Isabel Santana de Rose, Universidade Federal de Alagoas

Professora Visitante no Programa de Pós Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Alagoas (PPGAS/UFAL) e coordenadora do Coletivo de Estudos sobre Religião e Cura (CuraRe).

Geraldo Karaí Okenda

Professor e pesquisador indígena. Graduado na Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica pela UFSC. Atuou como professor na Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG.

Referências

ALBERT, Bruce. O ouro canibal e a queda do céu. Uma crítica xamânica da economia política da natureza (Yanomami). In: ALBERT, Bruce; RAMOS, Alcida (org.) Pacificando o branco: Cosmologias do contato no Norte-Amazônico. São Paulo: Editora da UNESP, 2002. p. 239-275.

ASSIS, Valéria de; GARLET, Ivori J. Análise sobre as populações guarani contemporâneas: demografia, espacialidade e questões fundiárias. Revista de Índias, [s.l.], v. LXIV, n. 230, p. 35-54, 2004.

BARBOSA NETO, Edgar R.; ROSE, Isabel S.; GOLDMAN, Marcio (org.). Encontro de saberes: transversalidades e experiências (dossiê). Revista Mundaú, [s.l.], v. 9, n. 1, p. 306, 2020.

BARTOLOMÉ, Miguel A. Oguerojera (desplegarse). La etnogénesis del pueblo mbya-guaraní. Ilha, [s.l.], v. 10, n. 1, p. 105-140, 2008.

BRASIL, André G. et al. Proposta do Programa de Formação Transversal em Saberes Tradicionais, enviada à PROGRAD da UFMG. [S.l.: s.n.], 2014.

CANDAU, Vera Maria F. Educacion intercultural en America Latina: distintas concepciones y tensiones actuales. Estudos Pedagógicos, [s.l.], v. 36, n. 2, p. 333-342, 2010.

CANDAU, Vera Maria F.; RUSSO, Kelly. Interculturalidade e educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. Revista Diálogo Educacional, [s.l.], v. 10, n. 29,

p. 151-169, 2010.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela. Xamanismo e tradução. In: CARNEIRO DA CUNHA, Manuela Cultura com aspas. São Paulo: CosacNaify, 2009. p. 101-114.

CARVALHO, José Jorge. Los estúdios culturales en America Latina: interculturalidade, acciones afirmativas y encuentro de saberes. Tabula Rasa, [s.l.], v. 12, p. 229-251, 2010.

CARVALHO, José Jorge. Inclusão étnica e racial no Brasil: a questão das cotas no ensino superior. São Paulo: Attar Editorial, 2011.

CARVALHO, José Jorge; VIANNA, Letícia C. Rodrigues. O Encontro de Saberes nas universidades. Uma síntese dos dez primeiros anos. Revista Mundaú, [s.l.], v. 9, n. 1, p. 23-49, 2020.

CHAUMEIL, Jean-Pierre. Ver, saber, poder: El chamanismo de los Yagua de la Amazônia Peruana. Peru: IFEA, CAAP, CAEA/CONICET, 1998.

CHAUMEIL, Jean-Pierre. Varieties of Amazonian shamanism. Diógenes, [s.l.], v. 158, p. 101-113, 1992.

CICCARONE, Celeste. Drama e sensibilidade. Migração, xamanismo e mulheres mbya guarani. 2001. 415p. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2001.

CICCARONE, Celeste. Drama e sensibilidade: migração, xamanismo e mulheres mbya. Revista de Índias, [s.l.], v. LXIV, n. 230, p. 81-96, 2004.

DARELLA, Maria Dorothea. Territorialidade e territorialização guarani no litoral de Santa Catarina. Tellus, [s.l.], v. 4, n. 6.1, p. 79-110, 2004.

GOW, Peter. River people: shamanism and history in Western Amazônia. In: THOMAS, Nicolas; HUMPHREY, Caroline (org.) Shamanism, history and the State. Ann Arbor: University of Michigan Press, 1994. p. 90-114.

GUIMARÃES, César et al. Por uma universidade pluriepistêmica: a inclusão de disciplinas ministradas por mestres dos saberes tradicionais e populares na UFMG. Tessituras, [s.l.], v. 4, n. 2, p. 179-201, 2017.

KOPENAWA, Davi Y.; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

LABATE, Beatriz C.; ARAÚJO, Wladimyr S. (org.) O uso ritual da ayahuasca. 2. ed. Campinas: Mercado de Letras; FAPESP, [2002] 2004.

LABATE, Beatriz C.; CAVNAR Clancy Cavnar (org.) Ayahuasca shamanism in the Amazon and beyond. New York: Oxford University Press, 2014.

LABATE, Beatriz C.; COUTINHO, Thiago. O meu avô deu ayahuasca a para o Mestre Irineu: reflexões sobre a entrada dos índios no circuito urbano de consumo de ayahuasca no Brasil. Revista de Antropologia, [s.l.], v. 57, n. 2, p. 216-250, 2014.

LADEIRA, Maria Inês. O caminhar sob a luz: Território mbya à beira do oceano. São Paulo: Editora da UNESP, 2007.

LANGDON, Esther Jean (org.). Xamanismo no Brasil: novas perspectivas. Florianópolis: Editora da UFSC, 1996.

LANGDON, Esther Jean. Redes xamânicas, curandeirismo e processos interétnicos: uma análise comparativa. Mediações, [s.l.], v. 17, n. 1, p. 61-84, 2012.

LANGDON, Esther Jean. La negociación de lo oculto: chamanismo, medicina y familia

entre los Siona del bajo Putumayo. Popayán: Editorial Universidad del Cauca, 2015.

LANGDON, E. Jean; ROSE, Isabel S. Contemporary Guarani shamanisms: “traditional medicine” and discourses of native identity in Brazil. Health, Culture and Society, [s.l.], v. 3, n. 1, p. 29-48, 2012.

LANGDON, E. Jean; ROSE, Isabel S. Medicine Alliance: contemporary shamanic networks in Brazil. In: LABATE, Beatriz Caiuby; CAVNAR, Clancy (org.). Ayahuasca shamanism in the Amazon and beyond. New York: Oxford University Press, 2014. p. 81-104.

LOSONCZY, Anne-Marie; MESTURINI, Silvia. La selva viajera. Rutas del chamanismo ayahuasquero entre Europa y América. Religião e Sociedade, [s.l.], v. 30, n. 2, p. 164-183, 2010.

MACEDO, Valéria. Nexos da diferença: cultura e afecção em uma aldeia guarani na Serra do Mar. 2010. 331p. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

MACEDO, Valéria. Tracking Guarani songs: between villages, cities and worlds. Vibrant, [s.l.], v. 8, n. 1, p. 377-411, 2011.

MELLO, Flávia Cristina. Aetchá nhanderukuery karai retarã: entre deuses e animais. Xamanismo, parentesco e transformação entre os Chiripá e Mbyá Guarani. 2006. 300p. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

MONTARDO, Deisy L. Oliveira. Através do mbaraka: música dança e xamanismo Guarani. São Paulo: EdUSP, 2009.

MONTARDO, Deisy L. Oliveira; RUFINO, Márcia Regina C. F. (org.). Saberes e ciência plural: diálogos e interculturalidade em antropologia. Florianópolis: Editora da UFSC; Instituto Brasil Plural, 2017.

OLIVEIRA, Diogo. Arandu nhembo’ea: cosmologia, agricultura e xamanismo entre os Guarani-Chiripá no litoral de Santa Catarina. 2011. 283p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

PIMENTEL, S. et al. Relatório circunstanciado de identificação e delimitação da Terra Indígena Tenondé Porã. Brasília, DF: CGID; FUNAI, 2010.

PISSOLATO, Elizabeth. A duração da pessoa: mobilidade, parentesco e xamanismo mbya (Guarani). São Paulo: Editora da UNESP, 2007.

ROSE, Isabel S. Tata endy rekoe – Fogo Sagrado: encontros entre os Guarani, a ayahuasca e o Caminho Vermelho. 2010. 435p. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

ROSE, Isabel S. Notas sobre os usos contemporâneos do peiote e o Fogo Sagrado de Itzachilatlan. In: LABATE, Beatriz C.; GOULART, Sandra Lucia (org.). O uso de plantas psicoativas nas Américas. Rio de Janeiro: Gramma; NEIP, 2019. p. 347-364.

ROSE, Isabel S.; LANGDON, Esther J. Chamanismos guarani contemporâneos en Brasil: un estudio de transfiguración cultural. Revista Colombiana de Antropologia, [s.l.], v. 49, n. 1, p. 105-127, 2013.

SCHADEN, Egon. Aspectos fundamentais da cultura Guarani. São Paulo: EdUSP, [1954] 1974.

STOLZE LIMA, Tânia. A planta redescoberta: um relato do encontro da ayahuasca com o povo Yudjá. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, [s.l.], v. 69, p. 118-136, 2018.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Perspectival anthropology and the method of controlled equivocation. Tipiti, [s.l.], v. 2, n. 1, p. 3-22, 2004.

WALSH, Catherine. Estudos (inter)culturais na chave descolonial. Tabula Rasa, [s.l.], v. 12,

n. 1, p. 209-227, 2010.

WHERÁ TUPÃ, Alcindo Moreira; OKENDA, Geraldo Karaí. Aulas ministradas na disciplina “Artes e ofícios dos saberes tradicionais: curas e cuidados”: na Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG. [S.l.: s.n.], 2015.

Downloads

Publicado

2021-10-04

Edição

Seção

Artigos