Corpo e cidade no comércio senegalês em Santa Maria (RS)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2021.e74775

Resumo

Este artigo trata da venda de rua senegalesa em Santa Maria (RS, Brasil), procurando responder à seguinte pergunta: de que forma os vendedores de rua senegaleses estabelecidos em Santa Maria lidam com a constante perspectiva de perda de mercadorias frente às ações da fiscalização municipal?. Partindo de uma pesquisa etnográfica desenvolvida entre agosto de 2016 e dezembro de 2017, procuramos perseguir dois objetivos principais: (i) descrever o aprendizado da investigação empírica na identificação e interpretação social e histórica do fenômeno considerado; (ii) descrever a relação corporal estabelecida por tais senegaleses com a materialidade urbana presente em seus espaços de trabalho irregular. Propomos que a forma prática pela qual os senegaleses concebiam tal materialidade urbana constituía o que chamamos de “saber estar”, um conjunto de conhecimentos políticos de vigilância, antecipação, evasão e precaução dispendidos a fim de evitar a apreensão de mercadorias pelos fiscais públicos.

Biografia do Autor

Filipe Seefeldt de Césaro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando em Antropologia Social (PPGAS) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestre em Ciências Sociais (PPGCS) e Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente, integra o Grupo de Antropologia da Economia e da Política (GAEP - PPGAS/UFRGS). Desenvolve pesquisa na interseção entre os estudos migratórios e a antropologia urbana, com enfoque atual sobre a venda de rua senegalesa no Brasil.

Maria Catarina Chitolina Zanini, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Curso de Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS (1987), mestrado em Antropologia pela Universidade de Brasília- UnB (1997), doutorado em Ciência Social (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo- USP (2002) e Pós-doutorado pelo Museu Nacional (MN-UFRJ) (2008). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), vinculada aos Programas de Pós-Graduação em Ciências Sociais e Programa de Pós-Graduação em História. Coordenadora do NECON/UFSM (Núcleo de Estudos Contemporâneos). Membro do Comitê de Iniciação Científica e de Inovação Tecnológica da UFSM. Tem experiência na área de Antropologia, trabalhando principalmente com as seguintes temáticas: migrações, teoria antropológica, campesinato e etnicidade. Visiting Schoolar na Universitá Ca´Foscari Venezia (Itália). Pesquisadora Associada do NIEM-UFRJ (Núcleo de Estudos Migratórios). Pesquisador Associado ao Instituto Histórico de São Leopoldo. Membro do Migraidh-UFSM e da Cátedra Sérgio Vieira de Mello UFSM. Pesquisador PQ 2/CNPq.

Referências

ALVARADO, Lina; ZUBRZYCKI, Bernarda. Redes y proyectos migratorios de los senegaleses en Argentina. In: GUIGOU, Lelio (org.). XI Actas de la Reunión de Antropología del Mercosur – Diálogos, Prácticas y visiones desde el Sur. Montevidéu: Universidad de la Republica/Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, 2015. p. 1-21.

BARBOSA, Lorena Salete; DE CÉSARO, Filipe; ZANINI, Maria Catarina. Um panorama das migrações internacionais para o sul do Brasil: haitianos e senegaleses em movimento. In: ZIMERMAN, Artur (org.) Impacto dos fluxos imigratórios recentes no Brasil. Santo André: Editora da UFABC, 2017. p. 80-101.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da Universidade Federal de Minas Gerais, 1998.

BITTENCOURT, Luís; REDIN, Giuliana. Imigrantes senegaleses no Brasil: tratamento jurídico e desafios para a garantia de direitos. In: HERÉDIA, Vânia (org.). Migrações Internacionais: o caso dos senegaleses no sul do Brasil. Caxias do Sul: Belas Letras, 2015. p. 201-218.

BOURDIEU, Pierre. The Logic of Practice. Stanford: Stanford University Press, 1990. CALLON, Michel. Sociologie des agencements marchands: textes choisis. Paris: Presses

des Mines, 2013.

CSORDAS, Thomas. Corpo/Significado/Cura. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2008.

DAS, Veena. Life and Worlds: Violence and the Descent into the Ordinary. Los Angeles: University of California Press, 2007.

DE CERTEAU, Michel. The Practice of Everyday Life. Los Angeles: University of California Press, 1984.

DE CÉSARO, Filipe; ZANINI, Maria Catarina. “Tem que estar bonito pra vender”: a produção senegalesa de espaços de venda em Santa Maria (Rio Grande do Sul, Brasil). Brasília: UnB, REMHU, [s.l.], v. 26, n. 52, p. 95-110, 2018.

DE CÉSARO, Filipe. “Tem que conversar, senão não vende, né?”: a inserção de imigrantes senegaleses no comércio de rua de Santa Maria (RS). 2018. 245 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

DE CÉSARO, Filipe; ZANINI, Maria Catarina. Migração senegalesa e mouridismo: um breve exercício interpretativo. In: TEDESCO, João Carlos; KLEIDERMACHER, Gisele. A imigração senegalesa no Brasil e na Argentina: múltiplos olhares. Porto Alegre: EST Edições, 2017. p. 255-274.

DE MELLO, Pedro; TEDESCO, João. Senegaleses no centro-norte do Rio Grande do Sul: imigração laboral e dinâmica social. Porto Alegre: Letra & Vida, 2015.

DELGADO, Manuel; MALET, Daniel. El espacio público como ideología. Anales de las Jornadas Marx Siglo XXI, Rioja, v. 1, n. 1, p. 1-12, 2007.

DOS SANTOS, Daiane. Práticas e táticas de um “fazer econômico”: os Kaingang do setor Pedra Lisa – TI Guarita. 2011. 122 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana. Etnografia de rua: estudo de antropologia urbana. Iluminuras, Porto Alegre, v. 4, n. 7, p. 1-22, 2003.

FALL, Papa. Des francenabe aux modou-modou: l’émigration sénégalaise contemporaine. Dakar: L’Harmattan Sénégal, 2017.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia, 2008.

FARMER, Paul. An Anthropology of Structural Violence. Current Anthropology, Chicago,

v. 45, n. 3, p. 305-325, 2004.

FONSECA, Claudia; SCALCO, Lucia; DE CASTRO, Helena. Etnografia de uma política pública: controle social pela mobilização popular. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 24,

n. 50, p. 271-303, 2018.

FOURON, George; GLICK-SCHILLER, Nina. Laços de sangue: os fundamentos raciais do Estado-nação transnacional. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, v. 1, n. 48, p. 33-66, 1997.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989. GLICK-SCHILLER, Nina; LEVITT, Peggy. Conceptualizing Simultaneity: A Transnational Social Field Perspective on Society. IMR, Nova Iorque, v. 1, n. 3, p. 1.002-1.039, 2004. GLOVER, John. Sufism and jihad in modern Senegal: the murid order. New York: University of Rochester Press, 2007.

GUILHERME, Ana. Imigrantes haitianos e senegaleses no Brasil: trajetórias e estratégias de trabalho na cidade de Porto Alegre – RS. 2017. 110 p. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

HARAWAY, Donna. Situated Knowledges: the Science Question in Feminism and the Privilege of Partial Perspective. Feminist Studies, Maryland, v. 14, n. 3, p. 575-599, 1988.

HEIL, Tillman. Uma infraestrutura muçulmana de chegada no Rio de Janeiro. REMHU, Brasília, v. 26, n. 52, p. 111-130, 2018.

HERÉDIA, Vânia (org.). Migrações Internacionais: o caso dos senegaleses no sul do Brasil. Caxias do Sul: Belas-Letras, 2015.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.HONNETH, Axel. Invisibilidad: sobre la epistemologia moral del reconocimiento. In: HONNETH, Axel. La sociedad del desprecio. Madrid: Editorial Trotta, 2011. p. 165-181.

HOOKS, Bell. Black Looks: Race and Representation. Boston: South End Press, 1992.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em: 13 set. 2020.

JARDIM, Denise. Os Direitos Humanos dos Imigrantes: Reconfigurações normativas dos debates sobre imigrações no Brasil contemporâneo. Densidades, Buenos Aires, v. 1, n. 14, p. 67-85, 2013.

KLEIDERMACHER, Gisele. Compartiendo y disputando veredas en “Avellaneda”: El caso del colectivo senegalés y la (de)construcción de relaciones interculturales en el espacio público. In: FISCHMAN, Fernando (ed.). Migraciones, movilidades e interculturalidad: nuevos espacios de (des)encuentro en la Ciudad de Buenos Aires. Buenos Aires: Teseo, 2019. p. 85-126.

KLEIDERMACHER, Gisele. Entre Cofradías y Venta Ambulante: una caracterización de la inmigración senegalesa en Buenos Aires. Cuadernos de Antropología Social, Buenos Aires, v. 1, n. 38, p. 109-130, 2013.

LATOUR, Bruno. We Have Never Been Modern. Cambridge: Harvard University Press, 1993.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2007.

M’CHAREK, Amade. Fragile differences, relational effects: stories about the materiality of race and sex. European Journal of Women’s Studies, Londres, SAGE Publications, v. 17, n. 4,

p. 1-16, 2010.

MAFFIA, Marta. Una contribución al estudio de la nueva inmigración africana subsaariana en la Argentina. Cuadernos de Antropología Social, Buenos Aires: Universidade de Buenos Aires, v. 1, n. 31, p. 7-32, 2010.

MARQUES, Juliana; CAVEDON, Neusa; SOILO, Andressa. Representações sociais e comércio popular: o caso do Shopping do Porto, Porto Alegre (RS). Revista Confluências Culturais, Joinville, Univille, v. 2, n. 1, p. 48-58, 2013.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MAUSS, Marcel. As técnicas do corpo. In: GURVITCH, Georges; LÉVY-BRUHL, Henri (org.). Sociologia e Antropologia. São Paulo: EPU, 2014. p. 401-423.

MEYER, Birgit. “There is a spirit in that image”: mass-produced Jesus pictures and Protestant-Pentecostal Animation in Ghana. Comparative Studies in Society and History, Cambridge, Cambridge University Press, v. 52, n. 1, p. 100-130, 2010.

MOCELLIN, Maria. Deslocamentos e trabalho ambulante entre jovens senegaleses no

Rio Grande do Sul. In: TEDESCO, João; KLEIDERMACHER, Gisele (org.). A imigração senegalesa no Brasil e na Argentina: múltiplos olhares. Porto Alegre: EST Edições, 2017. p. 339-358.

NDIAYE, Gana. Mobility and Cultural Citizenship: The Making of a Senegalese Diaspora in Multiethnic Brazil. In: MEERZON, Yana; DEAN, David; MCNEIL, Daniel (ed.). Migration and Stereotypes in Performance and Culture. Londres: Palgrave, 2019. p. 157-177.

OLIVEN, Ruben. A parte e o todo: a diversidade cultural no Brasil-Nação. Petrópolis: Vozes, 1992.

PACECCA, María Inés; CANELO, Brenda; BELCIC, Sofía. Culpar a los Barrio, y a los pobres. Los “manteros” senegaleses ante los allanamientos en el de Once. In: PITA, María Victoria; PACECCA, María Inés (ed.). Territorios de control policial: gestión de ilegalismos en la Ciudad de Buenos Aires. Buenos Aires: Facultad de Filosofía y Letras de la Universidad de Buenos, 2017. p. 199-219.

PEIRANO, Mariza. Etnografia não é método. Horizontes Antropológicos, [s.l.], v. 20, n. 42, p. 377-391, 2014.

PINCH, Trevor. Performativity and economic demonstrations: pitching quality and quantity. In: AKRICH, Madeleine et al. (dir.). Débordements: Mélanges offerts à Michel Callon. Paris: Presses des Mines, 2010. p. 369-380.

PINTO, Mateus. As metamorfoses do trabalho urbano: o caso dos comerciantes informais de Santa Maria – RS (1980-2011). 2015. 104 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2015.

PISSOLATO, Elizabeth. Marshall Sahlins. In: ROCHA, Everardo; FRID, Marina (org.).

Os antropólogos: de Edward Tylor a Pierre Clastres. Petrópolis: Vozes, 2015. p. 265-281.

POLICASTRO, Betsabe; RIVERO, Emilse. Las relaciones de intercambio en el mundo de la venta ambulante. In: 7o CONGRESO NACIONAL DE ESTUDIOS DEL TRABAJO, Buenos Aires, 2005. Anais [...]. Buenos Aires, 2005.

RABOSSI, Fernando. Negociações, associações e monopólios: a política da rua em Ciudad del Este (Paraguai). Etnográfica, Lisboa, v. 15, n. 1, p. 83-107, 2011.

REITER, Paula. Contextos de origen: colonización y religiosidad en la región de Senegambia. In: TEDESCO, João; KLEIDERMACHER, Gisele (org.). A imigração senegalesa no Brasil e na Argentina: múltiplos olhares. Porto Alegre: EST Edições, 2017. p. 79-100.

RICCIO, Bruno. Talkin’ about migration - some ethnographic notes on the ambivalente representation of migrants in contemporary Senegal. Stichproben, Viena, v. 1, n. 8, p. 99-118, 2005.

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O direito e a comunidade. Revista Crítica de Ciências

Sociais, Coimbra, v. 1, n. 10, p. 9-40, 1982.

SAYAD, Abdelmalek. A imigração ou os Paradoxos da Alteridade. São Paulo: EDUSP,

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Nem preto nem branco, muito pelo contrário: cor e raça na sociabilidade brasileira. São Paulo: Claro Enigma, 2012.

SEYFERTH, Giralda. Construindo a nação: hierarquias raciais e o papel do racismo na política de imigração e colonização. In: SANTOS, Ricardo Ventura (org.). Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996. p. 41-58.

SOILO, Andressa. Produções Legais da Pirataria: O Streaming e a Incorporação das Demandas e Discursos Piratas no Mercado do Entretenimento Digital. Campos, Curitiba, v. 18, n. 1,

p. 1-2, 2017.

STOLLER, Paul. Money has no smell: the africanization of New York City. Chicago: The University of Chicago Press, 2002.

UEBEL, Roberto. Senegaleses no Rio Grande do Sul: panorama e perfil do novo fluxo migratório “África-Sul do Brasil”. In: TEDESCO, João; KLEIDERMACHER, Gisele (org.). A imigração senegalesa no Brasil e na Argentina: múltiplos olhares. Porto Alegre: EST Edições, 2017. p. 185-208.

VEDANA, Viviane. Técnicas corporais e ritmos de trabalho nos mercados de rua: um ensaio sobre a relação entre gestos e atos de fala. In: ZANINI, Maria; SANTOS, Miriam (org.). Feiras, feirinhas e feirões: a “economia” dos centavos em foco. São Leopoldo: Oikos, 2017. p. 40-58.

VERTOVEC, Steven. Transnationalism. London: Routledge, 2009.

ZUBRZYCKI, Bernarda. Senegaleses en Argentina: un análisis de la Mouridyya y sus

asociaciones religiosas. Boletín Antropológico, Bogotá, v. 29, n. 81, p. 49-64, 2011.

Downloads

Publicado

2021-10-04

Como Citar

DE CÉSARO, Filipe Seefeldt; ZANINI, Maria Catarina Chitolina. Corpo e cidade no comércio senegalês em Santa Maria (RS). Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 23, n. 3, 2021. DOI: 10.5007/2175-8034.2021.e74775. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/74775. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos