Ativismo Soropositivo: A Politização da Aids

Larissa Pelucio

Resumo


Um dos efeitos da epidemia da aids foi a passagem do discusso biomédico da esfera do privado para do político. As ONGs/aids têm grande participação na articulação desse discurso que vincula à soropositividade a noções de cidadania e ativismo. As ONGs/aids surgem fortemente marcadas pela presença de lideranças gays, passando depois a incorporar outras performances de gênero/sexuais, as quais compartilham esse olhar, formulando procedimentos normatizadores da doença. Assim, ao mesmo tempo em que se impõe um padrão de conduta, proporciona-se a afirmação de valores próprios desses grupos, tornando-os passíveis de legitimação. O ativismo proporcionou a construção e a rearticulação de “identidades” por meio da experiência subjetiva da doença e da sua politização.

Palavras-chave


identidade soropositiva, ONG/aids, ativismo, novos e movimentos sociais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Ilha R. Antr., Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC,  Florianópolis, SC, Brasil, ISSNe 2175-8034