“A relação com o inglês mexe até com minha autoestima”: dilemas sobre acesso à língua estrangeira e inclusão em uma iniciativa didática no PPGAS-USP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2024.e93939

Palavras-chave:

Ensino de antropologia, Ações Afirmativas na pós-graduação, Políticas linguísticas, Letramento acadêmico, Diálogos Sul-Sul

Resumo

Neste artigo, partimos de uma iniciativa em andamento no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo. O trabalho pretende oferecer a seu corpo discente letramento em língua estrangeira, a partir da facilitação de acesso e debate de textos antropológicos em inglês no sentido de contribuir para uma discussão que se refere a diferentes dimensões do ensino e aprendizagem do ofício da antropologia. Iniciamos o texto trazendo reflexões sobre idiomas estrangeiros e acesso à pós-graduação, seguido por considerações sobre linguagem, poder e possibilidades de diálogos Sul-Sul a partir do inglês falado e escrito por não nativos. Apresentamos, então, a estrutura das oficinas, bem como nossa metodologia voltada para estudantes com pouco ou nenhum conhecimento do idioma. Em seguida, realizamos debate sobre permanência apresentando os perfis e os retornos dos participantes e concluímos o texto com considerações sobre o presente e futuro de nosso projeto e o papel da docência e dos PPGs na formação da próxima geração de antropólogos.

Biografia do Autor

Thais Henriques Tiriba, Universidade de São Paulo

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da Universidade de São Paulo. Mestra em Antropologia Social pela mesma instituição. Pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença (NUMAS). Desenvolve pesquisas na área de relações de gênero, relações raciais, mercados matrimoniais transnacionais e conjugalidades contemporâneas no Brasil, Alemanha e África do Sul.

Referências

AGÊNCIA BRASIL. Pioneira no debate, USP é última das grandes universidades a adotar cota racial. 2023. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/ noticia/2017-08/pioneira-no-debate-usp-e-ultima-das-grandes-universidades-adotar-cota. Acesso em: 19 ago. 2023.

ALMEIDA, Wilson Mesquita de. Estudantes com desvantagens sociais e os desafios da permanência na universidade pública. In: PIOTTO, Débora C. (org.). Camadas populares e universidades públicas: trajetórias e experiências escolares. São Carlos: Pedro & João Editores, 2014. p. 239-272.

AMPARO, A. G. J. et al. Avanços e desafios do primeiro quinquênio das Ações Afirmativas do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo. Cadernos de Campo, (São Paulo-1991), [s.l.], v. 31, n. 2, p. e206190, 2022. DOI: 10.11606/issn.2316- 9133.v31i2pe206190. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/ view/206190. Acesso em: 7 abr. 2023.

BERCITO, Diogo; MBEMBE, Achille. ‘The Pandemic Democratizes the Power to Kill’: An Interview with Achille Mbembe. The European Journal of Psychoanalysis, [on-line], 31 de Março de 2020. Disponível em: https://www.journal-psychoanalysis.eu/articles/covids- metamorphoses-the-derangement-of-the-atmosphericunconscious-2-2-2/. Acesso em: 29 jul. 2023.

BORGES, Antonádia; BERNARDINO-COSTA, Joaze. Dessenhorizar a academia: ações afirmativas na pós-graduação. Mana, Rio de Janeiro, v. 28, n. 3, p. 1-30, 2022.

BRITISH COUNCIL. O ensino de inglês na educação pública brasileira: elaborado com exclusividade para o British Council pelo Instituto de Pesquisas Plano CDE [on-line]. São Paulo: British Council Brasil, 2015.

CARVALHO, José Jorge de. Inclusão étnica e racial: a questão das cotas no ensino superior. 2. ed. Brasília: Attar, 2006.

COSTA, Elizângela da Silva. Mulheres do rio Negro e os impactos da pandemia de COVID-19. Plataforma de Antropologia e Respostas Indígenas à COVID-19, [s.l.], v. 1, n. 8, set. 2021. Disponível em http://www.pari-c.org/artigo/60. Acesso em: 29 jul. 2023.

COULON, Alain. O ofício de estudante: a entrada na vida universitária. Educação e Pesquisa, [s.l.], v. 43, n. 4, p. 1.239-1.250, dez. 2017.

DANIEL, A.; PLATZKY MILLER, J. Imaginação, descolonização e interseccionalidade: as ocupações estudantis #RhodesMustFall na Cidade do Cabo, África do Sul. Revista Estudos Libertários, [s.l.], v. 4, n. 12, 2022.

DAS, Veena. Facing Covid-19: My Land of Neither Hope nor Despair. American Ethnologist, [on-line], 1o de maio de 2020. Disponível em: https://americanethnologist.org/features/ collections/covid-19-and-student-focused-concerns-threats-and-possibilities/facing-covid-19- my-land-of-neither-hope-nor-despair. Acesso em: 29 jul. 2023.

DE FIORI, Ana Letícia. et al. O tempo e o vento: notas sobre a arte de burocratizar políticas de cotas na USP. Revista de Antropologia, [s.l.], v. 60, n. 1, p. 55-83, 2017. DOI: 10.11606/2179- 0892.ra.2017.132101. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/ra/article/view/132101. Acesso em: 7 abr. 2023.

ECHEVERRI ZULUAGA, Jonathan. Errance and Elsewheres among Africans Waiting to Restart Their Journeys in Dakar, Senegal. Cultural Anthropology, [s.l.], v. 30, n. 4, 2015, p. 589-610. DOI: https://doi.org/10.14506/ca30.4.07.

EZEH, Peter-Jazzy. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n. 2, p. 402-403, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ aman.13589.

FERRERO, L. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n. 2, p. 403-404, Wiley, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ aman.13578.

FERREIRA, Marília Mendes; STELLA, Vivian Cristina Rio. Redação acadêmica: múltiplos olhares para o ensino da escrita acadêmica em português e línguas estrangeiras. São Paulo: FFLCH Humanitas, 2018.

FRIEDMAN, P. Kerim. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n. 2, p. 404-406, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ aman.13569.

GRAHAM, Janice. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n. 2, p. 407, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/aman.13577.

HANNA, Kátia Regina Vighy; GONZALEZ, Simone Camacho. Língua inglesa: aspectos discursivos. São Paulo: Editora Sol, 2013.

IPHAN – INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Decreto n. 7.387 institui o Inventário Nacional da Diversidade Lingüística (INDL). 2010. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/temp/Inventario_Nacional_da_Diversidade_ Linguistica_INDL.pdf. Acesso em: 7 abr. 2023.

LAMBERT, Helen. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n. 2, p. 412-413, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ aman.13571.

LIMA, Marcia. A produção de conhecimento em tempos de conflito: o lugar das Ciências Sociais. Revista de Antropologia, [s.l.], v. 61, n. 1, 2018.

LOPES, Pedro; MOUTINHO, Laura. Uma Nação de Onze Línguas? Diversidade social e linguística nas novas configurações de poder na África do Sul. Tomo (UFS), [s.l.], v. 20, 2012.

MARQUES, Ana Cláudia et al. A proposta de cotas e ações afirmativas do Programa de Pós- Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo: do tédio à melodia. Cadernos de Campo (USP), São Paulo, v. 25, p. 25-55, 2016

MATEBENI, Zethu. Perspectivas do Sul sobre relações de gênero e sexualidades: uma intervenção queer. Revista de Antropologia, [s.l.], v. 60, n. 3, 2017. DOI: https://doi. org/10.11606/2179-0892.ra.2017.141826.

MOUTINHO, Laura; TIRIBA, Thais; BRUSCO, Rodrigo. Ensino de Antropologia em inglês: reflexões sobre uma experiência de inclusão. Revista de Antropologia, [s.l.], v. 64, n. 3, 2021.

NDAO, Pape Alioune. Le Français au Sénégal: une approche polynomique. Sud Langues, [on-line], v. 1, n. 1, p. 51-64, 20 dez. 2002. Disponível em: http://www.sudlangues.sn/spip. php?article42. Acesso em: 22 mar. 2023.

NEŠKOVIĆ, Vesna Vučinić. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n.2, p. 418-419, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ aman.13573.

NETTO, Lucia Regina Fonseca. Inglês Instrumental. Ilhéus: Editora da UESC, 2012.

NEVES, Paulo S. C.; FARO, André; SCHMITZ, Heike. As ações afirmativas na Universidade Federal de Sergipe e o reconhecimento social: a face culta das avaliações. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, [s.l.], v. 24, n. 90, 2016. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/ S0104-40362016000100006.

NEVES, Paulo Sérgio da Costa; MOUTINHO, Laura; SCHWARCZ, Lilia. Herança colonial confrontada: reflexões sobre África do Sul, Brasil e Estados Unidos. Revista Estudos Feministas, [s.l.], v. 27, 2019.

NEVES, Paulo S. C. Sistemas de classificação racial em disputa: comissões de heteroidentificação em três universidades brasileiras. Mana, Rio de Janeiro, v. 28, n. 3, e283206, 2002.

NIANG CAMARA, Fatou Bintou. Dynamique des langues locales et de la langue française au Sénégal en 1988 et 2002, Québec, Observatoire démographique et statistique de l’espace francophone/Université Laval, Rapport de recherche de l’ODSEF, 2010. 41p.

NYAMONGO, Isaac. K. Anthropologists Answer Four Questions about the Pandemic. American Anthropologist, Wiley, v. 123, n. 2, p. 414-415, 2021. DOI: https://doi.org/10.1111/ aman.13574.

OLIVEIRA, A. A Periferia na Periferia: sobre o lugar da Antropologia da Educação na Antropologia Latino-Americana. Universitas Humanística, [s.l.], v. 89, 2020. Disponível em: https://revistas.javeriana.edu.co/index.php/univhumanistica/article/view/22335. Acesso em: 22 mar. 2023.

PAPAILIAS, Penelope et al. Against Gravity: a worldly interview with Gustavo Lins Ribeiro. A Worldly Interview with Gustavo Lins Ribeiro. American Anthropologist, [on-line] content, 2021. Disponível em: https://www.americananthropologist.org/online-content/ against-gravity-gustavo-lins-ribeiro. Acesso em: 22 mar. 2023.

PASSOS, Joana Célia dos. Relações Raciais, Cultura Acadêmica e Tensionamentos Após Ações Afirmativas. Educação em Revista, [s.l.], v. 31, n. 2, p. 155-182, jun. 2015. FapUNIFESP (SciELO). DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698134242.

RIBEIRO, Gustavo Lins. World Anthropologies: Anthropological Cosmopolitanisms and Cosmopolitics. Annual Review of Anthropology, [s.l.], v. 43, 2014.

SAID, Edward. Orientalism. London: Penguin Books, [1978] 2003.

SANTOS, G. N. dos; MASTRELLA-DE-ANDRADE, M. R. O ensino de Língua Inglesa e a identidade de classe social: alguns apontamentos. Trabalhos em Linguística Aplicada, [s.l.], v. 55, n. 3, p. 541-563, set. 2016.

SAPIR, Edward. The Function of an International Auxiliary Language. Romanic Review, [s.l.], v. 11, 1931.

STATISTICS SOUTH AFRICA. Census 2022: Statistical Release. Pretoria: Statistics SA, 2023. VENTURINI, Ana Carolina; FERES JÚNIOR, João. Política de Ação Afirmativa na Pós-Graduação: o caso das universidades públicas. Cad. Pesqui., [s.l.], v. 50, n. 177, p. 882-909, jul. 2020.

Downloads

Publicado

2024-01-25

Como Citar

TIRIBA, Thais Henriques; RIBEIRO, Carla Brito Sousa; MOUTINHO, Laura. “A relação com o inglês mexe até com minha autoestima”: dilemas sobre acesso à língua estrangeira e inclusão em uma iniciativa didática no PPGAS-USP. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 26, n. 1, 2024. DOI: 10.5007/2175-8034.2024.e93939. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/93939. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Novos Debates na formação em antropologia