Crescimento inicial de Colubrina glandulosa Perkins var. reitzii (M.C. Johnston) M.C. Johnston em campo e viveiro sob diferentes intensidades de luz

Ricardo Messias, Maria Terezinha Silveira Paulilo

Resumo


Em vista do uso de Colubrina glandulosa Perkins var. reitzii (M.C. Johnston) M.C. Johnston, sobraji, na regeneração de florestas e em exploração comercial, este trabalho estudou aspectos do desenvolvimento de plântulas tanto em viveiro como no campo em ambientes das Florestas Ombrófilas Densas Submontana e de Terras Baixas. Para verificar o primeiro objetivo, plantas foram cultivadas em viveiro sob 100, 50 e 20% da luz solar total e solo adubado ou solo retirado de Floresta de Terras Baixas. Para verificação do segundo objetivo, sementes da espécie foram semeadas em cinco parcelas em ambientes de Floresta Ombrófila Densa Submontana e Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas. As plantas em viveiro crescidas a pleno sol apresentaram menor biomassa total, de raiz e de caule, que plantas a 20% de luz solar plena. A taxa de crescimento relativo (TCR), número de folhas, diâmetro do coleto e área foliar, também foi menor a pleno sol. Comparação entre plantas sob uma mesma intensidade luminosa, em substratos de solo de floresta e solo adubado, mostra que o solo de floresta foi menos favorável ao acúmulo de biomassa, área foliar, número de folhas e altura de plantas. Em plantas a pleno sol a TCR foi bem menor em solo de floresta em relação ao solo adubado. A semeadura direta em ambiente de Floresta de Terras Baixas não apresentou emergência de nenhum indivíduo mostrando uma não adaptação da espécie a este ambiente em decorrência das freqüentes inundações. Em ambiente de Floresta Submontana a espécie apresentou maior desenvolvimento nas parcelas com maior irradiância. As plantas que cresceram nas parcelas recebendo menor irradiância mostraram menor altura e menor diâmetro à altura do colo que plantas crescendo em parcelas com irradiância mais alta.


Palavras-chave


Crescimento inicial; semeadura direta; luz e substrato.

Texto completo:

PDF


Insula - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Botânica - Centro de Ciências Biológicas - Campos Universitário - Trindade - CEP 88040-900 - Florianópolis - SC – Brasil.

ISSN print 0101-9554
ISSNe 2178-4574