Crescimento inicial de Colubrina glandulosa Perkins var. reitzii (M.C. Johnston) M.C. Johnston em campo e viveiro sob diferentes intensidades de luz

Ricardo Messias, Maria Terezinha Silveira Paulilo

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2178-4574.2012n41p73

 

Em vista do uso de Colubrina glandulosa Perkins var. reitzii (M.C. Johnston) M.C. Johnston, sobraji, na regeneração de florestas e em exploração comercial, este trabalho estudou aspectos do desenvolvimento de plântulas tanto em viveiro como no campo em ambientes das Florestas Ombrófilas Densas Submontana e de Terras Baixas. Para verificar o primeiro objetivo, plantas foram cultivadas em viveiro sob 100, 50 e 20% da luz solar total e solo adubado ou solo retirado de Floresta de Terras Baixas. Para verificação do segundo objetivo, sementes da espécie foram semeadas em cinco parcelas em ambientes de Floresta Ombrófila Densa Submontana e Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas. As plantas em viveiro crescidas a pleno sol apresentaram menor biomassa total, de raiz e de caule, que plantas a 20% de luz solar plena. A taxa de crescimento relativo (TCR), número de folhas, diâmetro do coleto e área foliar, também foi menor a pleno sol. Comparação entre plantas sob uma mesma intensidade luminosa, em substratos de solo de floresta e solo adubado, mostra que o solo de floresta foi menos favorável ao acúmulo de biomassa, área foliar, número de folhas e altura de plantas. Em plantas a pleno sol a TCR foi bem menor em solo de floresta em relação ao solo adubado. A semeadura direta em ambiente de Floresta de Terras Baixas não apresentou emergência de nenhum indivíduo mostrando uma não adaptação da espécie a este ambiente em decorrência das freqüentes inundações. Em ambiente de Floresta Submontana a espécie apresentou maior desenvolvimento nas parcelas com maior irradiância. As plantas que cresceram nas parcelas recebendo menor irradiância mostraram menor altura e menor diâmetro à altura do colo que plantas crescendo em parcelas com irradiância mais alta.


Palavras-chave


Crescimento inicial; semeadura direta; luz e substrato.

Texto completo:

PDF


Insula - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Botânica - Centro de Ciências Biológicas - Campos Universitário - Trindade - CEP 88040-900 - Florianópolis - SC – Brasil.

ISSN print 0101-9554
ISSNe 2178-4574