Macroalgas de manguezais da Ilha de Maracá - Estado do Amapá, Brasil

Édison José de Paula, Yumiko Ugadim, Amelia Iaeca Kanagawa

Resumo


A flora de macroalgas dos manguezais da Ilha de Maracá, Estado do Amapá, Brasil, é pouco diversificada, se comparada com outros manguezais do litoral brasileiro. Oito espécies de macroalgas bentônicas são referidas, com base em coletas realizadas na região: RHODOPHYTA: Bostrychia radicans (Montagne) Montagne, Bostrychia pilulifera Montagne, Caloglossa leprieurii (Montagne) J. Ag., Catenella caespitosa (Withering) L. Irvine in Parke e Dixon; CHLOROPHYTA: Boodleopsis pusilla (Collins) W. Taylor, Joly et Bernatowicz, Rhizoclonium africanum Kuetzing, R. riparium (Roth) Kuetzing ex Harvey, R. sp. São apresentadas, ainda, informações de natureza ecológica para a região, incluindo a distribuição vertical das algas, amplitude das marés e dados de luz, temperatura a salinidade. A pobreza em macroalgas e tentativamente relacionada com transparência reduzida da água, instabidade do substrato e salinidades baixas, entre outros fatores físicos adversos. Bostrychia pilulifera Montagne é referida pela primeira vez para o litoral brasileiro. A espécie é pouco conhecida e apenas para a Guiana Francesa e Suriname, tendo sido descrita e ilustrada no presente trabalho.

Palavras-chave


Algas de mangue; Bostrychia pilulifera Montagne; mangrove macroalgae.

Texto completo:

PDF/A


Insula - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Botânica - Centro de Ciências Biológicas - Campos Universitário - Trindade - CEP 88040-900 - Florianópolis - SC – Brasil.

ISSN print 0101-9554
ISSNe 2178-4574